Sabedoria Ramatis

Sabedoria Ramatis

domingo, 16 de abril de 2017

"O FIM DA HUMANIDADE ANTI CRISTÃ"


PERGUNTA: O nosso globo desaparecerá do Cosmo, nesse fim de mundo?

RAMATÍS:
Oh! Por favor, não subestimeis tanto a obra do Pai! A Terra ainda é um planeta jovem, que mal se prepara para os admiráveis eventos do futuro, quando oferecerá as mesmas alegrias de Marte, de Júpiter e de Saturno, que atualmente são júbilos para suas humanidades! O "fim de mundo" profetizado refere-se tão-somente ao fim da humanidade anticristã; será uma seleção em que se destaquem os da "direita" e os da "esquerda" do Cristo. Trata-se de promoção da Terra e de sua humanidade; lembra um severo exame que, para os alunos relapsos e ociosos, representa terrível calamidade! Mas de modo algum a vossa morada
planetária sairá do rodopio em torno do Sol, onde também constitui importante âncora do sistema. Após a operação cósmica, que lhe será de excelente benefício para a estrutura geofísica, deverá possuir maior equilíbrio, melhor circulação vital energética na distribuição harmônica das correntes magnéticas, além de oferecer um ambiente psíquico já higienizado.
Mesmo depois que o vosso orbe já estiver desabitado e houver cumprido a sua missão educativa no Cosmo, ainda circulará em torno do Sol, qual nave cansada à espera do derradeiro piloto para conduzi-la ao porto final! Na figura de um esplêndido viveiro de "consciências espirituais", que em sua massa planetária se espalharam, vindas da Consciência Cósmica, a Terra vos doará as túnicas resplandecentes de futuros propostos do Pai, destinados a cooperar na obra divina!

ELUCIDAÇÕES DE RAMATÍS SOBRE A AURA HUMANA.


PERGUNTA: - Poderíeis dar-nos a descrição pormenorizada dos princípios que constituem a aura humana?
RAMATÍS: -
A aura humana resulta do amálgama ou da fusão de sete princípios fundamentais, que compõem o homem e variam na sua massa de luz, cor, energia e odor, conforme seja o caráter, temperamento e a graduação espiritual do ser. Ainda se fundem no todo áurico do homem outras emanações provenientes do próprio corpo físico, como o seu magnetismo, calor, odores e a eletricidade biológica.
Como a carga enfeitiçante projetada no processo de bruxaria atinge em primeiro lugar a chamada "aura da saúde", emanada propriamente do corpo físico e, em seguida, afeta fortemente a "aura prânica" ou vital, cuidaremos principalmente destas últimas. Aliás, a aura da saúde configurada pelos eflúvios prânicos ou vitais funde-se com a própria aura física revestida de calor e odor humanos, especificidade magnética e eletrização do homem, formando o conjunto mais compacto à visão perispiritual. Ademais, ela irradia também as exsudações dos próprios minerais organogênicos em atividade no corpo carnal, como ferro, cádmio, fósforo, flúor, cobre, titânio, cálcio e outros, inclusive o que poderíamos dizer "transmigração nervosa". Há, ainda, uma cintilação que vai do alumínio fosco, por vezes rosado, até ao tom de prata ou níquel, que se exorna diretamente do duplo etérico e dos "chacras", ou centros de forças que interligam o perispírito à sensibilidade humana. Essa aura da saúde, a mais grosseira do homem, mostra-se numa cor branco-azulada de água clara em sua manifestação comum, algo de metálica e brilhante. Tem o aspecto do ovo vaporoso e estriado, cuja casca é semelhante a uma crina eriçada de agulhas cintilantes, as quais são retas e claras, quando há saúde e vitalidade, e torcidas, enrosca das ou obscuras, como cabelos encrespados nas zonas enfermiças do corpo humano. 
Lembra uma veste de pele de marta, por exemplo, onde em vez de pêlos existam agulhas finíssimas em tom de alumínio brilhante. A aura da saúde desprende partículas radioativas impregnadas de éter físico, as quais permanecem longo tempo no local onde são projetadas, assinalando a pista da pessoa ou animal que transitou por ali, e que os cães farejam pondo-se no encalço de fugitivos ou desaparecidos. 2 Mas como a água absorve a eletricidade, os cães perdem o faro do fugitivo que atravessa a água corrente.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

RAMATÍS - "EFEITO FAVORÁVEL OU PREJUDICIAL"



PERGUNTA: - Considerando-se que Deus é a Perfeição, porventura, o Diabo, que nos parece a contrafação divina, não é a base antípoda para configurarmos essa Perfeição?

RAMATÍS: -
No processo de aperfeiçoamento do espírito, através das vidas físicas, a Administração Divina estatuiu dois caminhos opostos de ação e efeito favorável ou prejudicial. Assim, quem se toma um súdito de Satã estaciona e retarda a sua própria ventura definitiva, quando de sua metamorfose para o estado puro divino. Mas o discípulo do Senhor palmilha, incessantemente, pela senda das virtudes, que sublimam e aureolam a conscientização espiritual. Assim, ficou estabelecida a dinâmica, que acelera o campo vibratório do espírito do homem, como um processo divino, e a dinâmica que retarda a evolução espiritual apegada à fenomenologia transitória da vida puramente animal. 
O anjo é o produto da sublimação da própria linhagem animal; por isso, ele tem o corpo de bronze e os pés de lama. É a luz divina que, para iluminar a lâmpada humana, socorreu-se do combustível inferior da própria animalidade. Assim, um santo poderia já ter sido o diabo, e um diabo poderá ser um santo. Conforme referimos alhures, Gandhi já poderia ter sido um Hitler, porque Hitler ainda será um Gandhi, tanto quanto o Cristo poderia ter sido um Nero, porque Nero já pode ser um Cristo.

O EVANGELHO À LUZ DO COSMO - RAMATIS

O APERFEIÇOAMENTO DO HOMEM ÀS LEIS DO COSMO


PERGUNTA: - Como poderíamos entender melhor esse aperfeiçoamento do homem, ao submeter-se às leis científicas do Cosmo?
RAMATÍS: -
o super-homem ou o anjo, em verdade, é a etapa final do curso do espírito que se individualiza e se emancipa no seio da Divindade. É, então, a chama consciente ou centelha sideral do Criador, que embora jamais se desvincule de sua fonte divina, sente-se e sabe-se uma criatura existente e definida no Universo. É o ser que, sob a égide da Lei, alcança a consciência nítida de "si mesmo", observa e vive as sínteses de suas experiências e vivências nos mundos físicos, e passa a aplicar a sua sabedoria e poder na Criação, justificando o próprio enunciado de Jesus: "Vós sois deuses".
É uma realização superior do ser, que a Lei o integra, pacífica e conscientemente, ao ritmo da pulsação criadora, comprovando-se o aforismo de que "o homem é perfeito, como perfeito é o Pai". No seu microcosmo, o espírito consciente, então, despertou todas as qualidades macrocósmicas do Criador; o reino microcósmico humano preenche-se com o reino macrocósmico Divino.

PERGUNTA: - Considerando-se que está tudo certo no Universo e que "não cai um fio de cabelo da cabeça do homem, que Deus não saiba", quando é que o homem é "mais" ou "menos" perfeito, se nada sabemos positivamente o que é em absoluto o estado divino perfeito? Como verificar quanto o homem é perfeito ou imperfeito, sem contarmos com a própria base divina, que nos indique o que é realmente a Perfeição?

RAMATÍS: - Sem dúvida, ainda viveis num mundo primário e limitado pelas formas transitórias, como é a Terra, o que justifica a grande dificuldade de entenderdes a natureza de Deus, sob algum exemplo comparativo e tão deficiente da vida humana.
Cremos que seria bem mais fácil Einstein lograr sucesso ao transmitir a um hotentote o
esquema dinâmico da Lei da Relatividade, do que um terrícola aperceber-se, satisfatoriamente, da verdadeira contextura de Deus. Jamais qualquer concepção humana, firmada nos fenômenos e acontecimentos relativos e transitórios do mundo físico, poderia explicar a realidade Divina em sua essência pura. Em conseqüência, a concepção de Deus evolui tanto e se aperfeiçoa, quanto seja também o maior índice científico e intelectivo do próprio homem. Os mais abalizados filósofos e pensadores do vosso orbe jamais podem conceituar a natureza de Deus, além de um gigantesco fantasma, com todos os atributos louváveis do próprio homem e elevados ao infinito. 

"SEDE PERFEITOS"



                                            Mateus, 5:48
 
PERGUNTA: - Qual é a relação científica entre as leis do Cosmo e o conceito de Jesus, quando assim diz: "Sede, pois, vós outros, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celestial". (Mateus, 5:48).
RAMATÍS: -
Sob tal conceito, Jesus convoca o homem terrícola para desenvolver e adquirir, conscientemente, as qualidades que são permanentes em Deus. Sem dúvida, para o homem ser perfeito, ele precisa conhecer e aceitar as Leis do Universo, as quais dirigem e disciplinam todas as coisas e todos os seres em aperfeiçoamento.
O espírito encarnado na matéria, para alcançar a perfeição, precisa ajustar-se espontaneamente aos princípios universais, os quais derivam da Lei Única e do comando
criador de Deus. Doutro modo, o ser humano e as coisas da vida continuariam fora de ritmo
evolutivo ou ascensional, pois, isolados da Fonte Criadora Divina, perderiam o rumo como navio sem bússola perdendo precioso tempo em prejudicial deriva. Sob o amparo e a compreensão dessas leis evolutivas, o homem alcança mais breve o curso definitivo e prazenteiro da Vida Eterna.
Assim como um corpo sadio deve funcionar absolutamente integrado às leis de fisiologia e anatomia, o espírito perfeito reflete em si o ritmo harmonioso das leis que equilibram o próprio Cosmo. Há, portanto, uma perfeita relação entre as leis do Cosmo e o conceito evangélico de"sede perfeitos"e, conseqüentemente, todos os filhos de Deus
também hão de procurar ser perfeitos, quando ajustarem-se integralmente aos princípios menores que se derivam da Lei Maior. A concepção moral de perfeição é uma decorrência natural da dinâmica aperfeiçoadora da Lei Divina, ou seja, da parte ao Todo.

PERGUNTA: - Qual é a concepção de perfectibilidade do homem, que se subordina ao ritmo apeifeiçoador da Lei Única e regente do Cosmo?

RAMATÍS: -
É evidente que tendes de vos basear nos conceitos relativos e conhecidos do vosso mundo físico para, então, deduzirdes, comparativamente, na concepção melhor possível do Absoluto. Se o animal é uma fase e composição primária, que esquematiza e plasma a futura configuração humana, o homem, por sua vez, é uma fase primária da concepção do "super-homem" ou do futuro anjo. No vosso entendimento, o anjo ou super-homem deve ser uma criatura emancipada das ilusões, paixões, dos caprichos e desejos que ainda o prenderiam à matéria. Há de ter uma consciência na plena posse de todas as experiências efetuadas nos mundos educativos do universo físico, completamente
livre de quaisquer problemas e desejos, que possam imantá-la à periferia dos orbes planetários. Nada deve atraí-Ia em direção ao campo gravitacional imantador físico, pois deve estar desligada dos acontecimentos e fenômenos da vida humana, como se eles jamais existissem.
Em caso contrário, apesar de já situar-se nos ambientes paradisíacos, não usufrui da ventura a que fez jus, uma vez que ainda o convocam da Terra desejos, prazeres e paixões de ordem física. 1 O anjo ou super-homem é a entidade que, em face de sua libertação absoluta de todos os campos e planos da vida terrícola, então se move em pleno direito ao trânsito incondicional do Cosmo, sem sofrer qualquer atração do mundo exterior da matéria.
1 - Cabe, aqui, a reprodução do seguinte trecho do capítulo "Treino para a Morte", da obra "Cartas e Crônicas", pelo espírito de Irmão X, através da mediunidade de Chico Xavier, que assim descreve:
"Preliminarmente, admito deva referir-me aos nossos maus hábitos. A cristalização deles, aqui, é uma praga tiranizante. Comece a renovação de seus costumes pelo prato de cada dia. Diminua gradativamente a volúpia de comer carne dos animais. O cemitério na barriga é um tormento, depois da grande transição. O lombo de porco ou o bife de vitela, temperados com sal e pimenta, não nos situam muito longe dos nossos antepassados, os tamoios e os caiapós, que se devoravam uns aos outros.
Os excitantes largamente ingeridos constituem outra perigosa obsessão. Tenho visto muitas almas de origem aparentemente primorosa, dispostas a trocar o próprio Céu pelo uísque aristocrático, ou pela nossa cachaça brasileira. Tanto quanto lhe seja possível, evite os abusos do fumo".

domingo, 9 de abril de 2017

O MAL DE HANSEN


PERGUNTA:  Que dizeis sobre a lepra que, além de causar um sofrimento tão acerbo, ainda deforma suas vítimas?

RAMATIS:
  A lepra provém quase sempre de uma grande drenação de venenos que baixam do perispírito. Isso tanto pode acontecer aos espíritos que tomaram a decisão espontânea de concentrar o mais possível os fluidos nocivos do seu perispírito, acelerando o expurgo violentamente para a carne, assim como também àqueles que, sendo portadores de toxinas psíquicas demasiadamente virulentas, quando as despejam para a matéria, embora o façam na menor dose possível, também produzem a estagnação fluídica apropriada para nutrir os bacilos de Hansen, que são os germes causadores da lepra.
O leproso, cuja situação pungente ainda mais se agrava pelo imperativo de isolar-se da família, é obrigado a uma vida de grande introspecção e dolorosas reflexões, tendo de reconhecer que nada mais lhe resta de esperança no trato com o mundo exterior. Então sublimase pela concentração de energias espirituais e pela catarse psíquica, que o ajuda a desagregar mais breve o veneno fluídico incrustado no perispírito, à semelhança da lente que conduz os raios solares para um mesmo ponto de convergência. O seu corpo torna-se um dos mais vigorosos condensadores vivos, absorvente das emanações deletérias do perispírito; é como um vasto mata-borrão que, depois de completamente embebido das toxinas do psiquismo doente, deve despejá-las no seio da terra, num admirável processo de enxugamento da alma contaminada.

sábado, 25 de março de 2017

O NOSSO PASSADO REENCARNATÓRIO

Pergunta: - Alguns líderes espiritualistas nos têm dito que é desaconselhável a preocupação de pretendermos conhecer o nosso passado reencarnatório, pois isso é de pouca valia para o espírito encarnado; que nos devemos importar unicamente com a vida presente e o porvir, em lugar de nos entregarmos a essas cogitações pregressas, que só nos roubam precioso tempo. Que dizeis?
Ramatís:  Evidentemente, se hoje fôsseis um zelador de sanitários, que utilidade prática vos traria o fato de saberdes que já fostes requintado fidalgo no reinado de Luís XV?
Nem há muita necessidade de que evoqueis o passado para saberdes o que já tendes sido alhures, porquanto o fato de serdes atualmente um zelador escravizado às tarefas antihigiênicas bem poderia demonstrar-vos, com suficiência, que no pretérito houve de vossa parte abuso de poder ou demasiada exaltação pessoal.
Desde que a Lei determina que a colheita deva ser de conformidade com as próprias obras, compreende-se que os efeitos da vida presente devem servir de base para se poder
avaliar a plantação feita na existência pretérita. Em geral, na evocação do passado
reencarnatório, as criaturas só se empolgam pela probabilidade de saber se foram marqueses, condessas, faraós, reis ou imperadores, mas esquecem-se de que tais títulos, que representam tanto valor no mundo material, são de nenhum valor nas esferas da espiritualidade superior, onde a lei sideral determina que "os humildes serão exaltados e os que se exaltarem serão humilhados". Uma vez que no mundo dos espíritos só prevalecem os bens que a alma consolida em sua intimidade espiritual, é de somenos importância o tipo de vestuário de carne que ela enverga em cada existência humana porquanto, fora dessa sua realização
interior, o resto é apenas "pó que retoma ao pó"...
Quando após a desencarnação a alma é obrigada a reconhecer que só as virtudes diplomam para as regiões paradisíacas, arrepende-se de não haver preferido mil vezes o vestuário de estame, a pobreza e a glória espiritual de um Francisco de Assis, às jóias, sedas e veludos que cobrem os corpos dos que passam pelo mundo escravizados à animalidade inferior. Entretanto, como a vaidade e o amor-próprio são os sentimentos mais resistentes para serem dominados pelas almas, no aprendizado do mundo terreno, algumas criaturas sentem-se mais felizes no Astral por terem sido desabusados aristocratas ou famosos aventureiros sem escrúpulos, no passado, em vez de pobre criatura, mas dotada de qualidades cristãs.

quinta-feira, 23 de março de 2017

A CRIAÇÃO DE DEUS

Os espíritos criados no seio da Onisciência representam outras tantas miniaturas da vida cósmica, que despertam para o auto-entendimento e progridem incessantemente, alimentadas pelo próprio conhecimento infinito de Deus. 
A consciência do homem nada pode criar de novo no seio do conhecimento perfeito e infinito do Criador; no entanto, ela desperta sob os incessantes impulsos que se manifestam do interior para o exterior, despertamento esse ininterrupto e que prossegue por toda a eternidade, uma vez que, Eterno é o próprio Deus!
Esse processo e expansividade inata e ininterrupta de despertamento da consciência humana, os orientais os têm consagrado através de vários conceitos tradicionalistas da vida oculta, como estes: "Busca o caminho avançado resolutamente para o exterior"; "Busca o caminho penetrado para o interior"; ou "Cresce como cresce a flor, inconscientemente, mas ardendo em ânsias de entreabrir sua alma à brisa"; ou, ainda: "Busca à integração no Existente antes de ti!

segunda-feira, 13 de março de 2017

HOMENS DAS CAVERNAS


PERGUNTA:  Sentimo-nos horrorizados em face dessas reencarnações de espíritos terrestres como futuros filhos de homens das cavernas. Não há injustiça nessa retrogradação?

RAMATÍS:
  Desconheceis, porventura, as chamadas reencarnações expiatórias em vosso próprio ambiente terrestre? Considerais involução ou retrocesso o fato de antiga alma de orgulhoso potentado, daninho à vida comum, reencarnar-se na figura do mendigo pustuloso? Ou o caso do notável escritor cuja pena foi insidiosa, fescenina e degradante, que se reencarna na forma do imbecil, para a chacota dos moleques das ruas? Ou ainda o espírito do ex-atleta, que abusava da sua força física e que regressa ao mundo das formas na figura de um molambo de carnes atrofiadas? Há injustiça ou retrogradação, quando o fluente orador do
passado, cuja palavra magnetizava os incautos e seduzia os ingênuos com falsas promessas políticas, retorna à Terra como a criatura gaga, ridícula e debicada por todo mundo?
Vós considerais que o ambiente de um planeta inferior significa um retrocesso para os terrícolas, porque ficarão sujeitos a condições de vida inferiores; no entanto, tendes entre vós os cegos, os dementes e os psicopatas de todos os matizes, que já viveram existências sadias e conscientes, em vidas anteriores, e que não se queixam do ambiente em que se encontram. É que ignoram se já tiveram ou não vida melhor, assim como não podem dar notícias de si mesmos. Quantos artistas, filósofos, inquisidores, cientistas, imperadores, rainhas, religiosos e conquistadores descem à carne para ser enjaulados nas mais horrendas expressões teratológicas, sob aflitivas angústias, na expurgação do veneno letal de suas almas dissolutas, sem que por isso os vossos postulados espiritualistas os classifiquem como vítimas de involução ou de injustiça!

quinta-feira, 9 de março de 2017

LIBERTAÇÃO


"O primeiro passo para o início de vossa libertação é entenderdes vossa natureza interior que precede e impulsiona os atos volitivos mentais. A partir de então, gradativamente ir"cortando", por uma mudança gradual das atitudes, as conexões com os objetos e situações de prazer. Contudo, isso não deve vos levar a desprezar os prazeres da vida em falsas posturas "santas".
As dificuldades se instalam quando vos deixais ser escravos das sensações dos cinco sentidos físicos. Observai que os homens temerosos de ser apanhados nas redes dos prazeres mundanos, notadamente certos dirigentes e médiuns espiritualistas, são os que enxergam os defeitos dos outros com facilidade: repelem as prostitutas dos templos, açoitam os fumantes, desprezam arrogantemente os carnívoros, são mordazes com os vegetarianos, enxotam ironizando os alcoólatras, vilipendiam os homossexuais, escarnecem dos espíritos negros e índios, colocando-se distantes e isolados desses seres "impuros" em suas concepções. No fundo, são austeros porque temem entregar-se a condutas "pecaminosas" pelo possível descontrole que os levaria ao desregramento."

Ramatís


sábado, 4 de março de 2017

DESREGRAMENTOS: SEXO, VÍCIOS E VAIDADES...

Os principais "adubos" para a magia negra e as obsessões estão no sexo, nos vícios e na vaidade. As perversões de um modo geral estão relacionadas com ressonâncias de vidas passadas, em que os atos selvagens, obscenos e violentos criaram vínculos entre as criaturas envolvidas, que vão requerer várias encarnações para se desfazer.
A troca sexual sem amor inflige ao sistema nervoso um desperdício de energia que não é compensado pelo retorno, do parceiro, de uma "porção" proporcional à doada.
Ocorrendo um bloqueio à união das auras, e não havendo a integração entre os chacras e os corpos superiores, inexiste o fluxo energético positivo, gerado pelo sentimento amoroso, a esses veículos sutis. Fluem pelos corpos etéricos fluidos animados pelas sensações inferiores, animalizadas, estéreis, causando um êxtase anestésico sensório, mas rapidamente se instalará a vontade de novo conluio entre homem e mulher, sempre fugaz, diante do carrasco do apelo carnal nunca realizado. Ademais, as energias concentradas no duplo etérico, decorrentes do ato mecânico, do gozo animalesco desprovido de sentimentos elevados, não se dissolvem facilmente, obliterando esse mediador vibratório, que liga os corpos físico e astral, para o envio de expressões mais sensíveis do psiquismo à consciência em vigília, como a intuição e a lembrança das saídas do corpo físico.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

CORRENTES ASTRAIS COLETIVAS DE PENSAMENTOS PARASITAS


PERGUNTA - o que são as correntes astrais de pensamentos parasitas e como se dá a sintonia dos encarnados com essas emanações mentais?

RAMATÍS - As emanações mentais emitidas se aglutinam por similaridade. Quando várias mentes ressoam num mesmo diapasão, se constroem as formas-pensamentos grupais ou correntes mentais coletivas, muito usadas pelos magos de toda a história para interferirem intencionalmente nos planos etérico e astral. A importância da disciplina mental, dos símbolos externos usados como pontos focais de apoio às visualizações grupais, para formarem essas imagens etéreo-astrais, são fundamentos indispensáveis dos iniciados no ocultismo e na magia.
Podeis entender isso como uma manipulação energética, mas que não dispensa a forma para que a mente possa atuar, pois o universo sutil, abstrato, imponderável, não vos é acessível pela falta de capacidade perceptiva e de ideação sem o suporte no mundo concreto.


As formas-pensamentos construídas pela população encarnada e que sustentam as correntes mentais do plano astral inferior são espontâneas, desconexas, indisciplinadas e densas. Atraem-se por similaridade de freqüência vibratória que as enfeixam numa mesma onda. Chegam ao ponto de adquirir vida própria, pela intensidade e amplitude gigantesca que atingem quando a coletividade encarnada de vossas metrópoles da crosta adormece embalada por interesses comuns de sexo, gula, dinheiro, vaidade e satisfações materialistas variadas. Atraem para o seu fluxo magnético, como se fosse correnteza de um rio tempestuoso que arrasta as toras de madeira, levas de semi-adormecidos anestesiados que se locupletarão no sensório em localidades do Umbral inferior que com eles sintonizam. Muitos são"puxados"para os castelos medievais de prazer mantidos por organizações trevosas feudais que têm suas contrapartidas físicas nas casas noturnas, enfumaçadas boates e bares terrenos. Como se fossem bovinos em fileira adentrando o matadouro, aguardam o momento de serem "sacrificados" pelos capatazes - vassalos dos magos negros perdidos no passado.

"O ESPÍRITO, O PERISPÍRITO E O CORPO"



PERGUNTA: Dentro da nossa compreensão humana, é difícil entendermos essa relação "psíquica" entre os animais e o perispírito do homem pois, na tela de nossa mente, os animais se parecem a seres demasiadamente físicos, como uma superação já vencida do passado, e impotente para impor os seus estigmas primários.

RAMATÍS:  Há um psiquismo acumulado e latente no organismo físico, que é a soma de todo o esforço de adaptação ao meio por parte da espécie animal; o corpo humano mais se assemelha a um"coquetel" composto com um pouco do psiquismo coordenado de cada espécie animal, que tem servido na esteira do tempo para formar o automatismo da vida instintiva e ligar o feto à matriz uterina. Nessa hora do encontro do espírito com a carne, o homem e a mulher, configurando dois campos magnéticos opostos, transmutam energias vindas do Alto e forças criadoras do mundo instintivo, dosadas pela psique animal, as quais fazem o seu misterioso enlace na zona do "plexo abdominal", que é o exato limiar controlador dos automatismos criadores.
O corpo humano é um vaso vivo de energias milenárias, colocadas ao serviço do espírito encarnado, mas que reagem à sua atuação e tentam impor os seus valores instintivos cal-deados no pretérito. O espírito tanto pode se tornar um comandante vigoroso e emancipado, capaz de controlar o seu exército de entidades microscópicas, como também se transformar num infeliz farrapo psíquico, arrastado sob o império dos estigmas do atavismo animal...

SETE INVERDADES DOGMÁTICAS




Nos dias atuais, encontrais a verdade? Como tudo é gradativo e a evolução não dá saltos, tendes que conviver ainda, em vosso orbe, com as inverdades dogmáticas, amarras que infantilizaram a humanidade, oriundas da atuação do clero sacerdotal, e intimidaram a expressão individual do eu divino, amedrontando as criaturas através da "posse" da Divindade: a prerrogativa de concessão benevolente às almas crentes, fiéis, dóceis e isentas da mácula dos pecados, do céu paradisíaco e do êxtase ocioso, ou de envio "justo" dos pecadores descrentes e hereges ao infernodos caldeirões de enxofre fumegantes e de labaredas perpétuas.
A detenção, pelo clero católico estabelecido, do direito individual de religar-se ao Pai, juntamente com os poderosos e reis temporais, ocasionou ascendência sobre os governos e domínio influente total das coletividades. Assumiu o dogmatismo, aspecto nitidamente religioso e não filosófico, como sempre ocorrera.  Para os integrantes da Igreja Católica Apostólica Romana, dogma é todo o ensino como norma imposta, infalível e inquestionável.
A quimera que se suscitou, a posse da religiosidade dos desprezíveis mortais, através do cárcere da tortura dogmática, lamentavelmente é setenária. Conseguiu-se manchar e distorcer o símbolo sagrado da libertação do espírito, que se criou no inconsciente dos terrícolas diante do número sete, oriundo de épocas imemoriais; o trabalho missionário de todos os mestres iluminados que encarnaram, trazendo o conhecimento libertador dos grilhões da ignorância e o livramento condicional para os sentenciados ao ciclo da carne.
Fazia-se necessário o fortalecimento do catolicismo, enfraquecido na luta contra as outras religiões, consideradas como heresias e paganismo. Esse processo sempre fez parte da História, tendo se iniciado com a queda do Império Romano e a perda gradativa da influência da Igreja. Os sacerdotes e os padres recorreram às armas intelectuais de que dispunham e que mais influenciavam o caldo religioso da época. Verificaram que os conhecimentos iniciáticos da trindade e do setenário estavam presentes em quase todas as outras religiões. O grande trabalho da elaboração dos dogmas - ano 200 até 325 - e da conclusão da escolástica católica no inicio da Idade Média, baseada no tomismo de Tomás de Aquino, foi de compiladores que tiveram influência decisiva dos filósofos gregos.
No silêncio e no recolhimento das bibliotecas, os sacerdotes, que dispunham de todo tempo necessário, por estarem ausentes da vida social exigida na sociedade profana, estudaram todas as religiões orientais, as crenças e as filosofias existentes no mundo. Influenciou-os, decisivamente, na elaboração dos dogmas e na forma de apresentação aos fiéis para cooptar os crentes de outras religiões: a tríade, ou tríada, e o setenário da doutrina pitagórica. Esses conhecimentos iniciáticos faziam parte da filosofia grega, que era respeitada e considerada de grande valia pelos estudiosos do clero católico, e corroborou, por serem similares, os escritos analisados das outras religiões, fundamentalmente as orientais.
Eles tinham à sua disposição todos os manuscritos antigos com a sabedoria que guardavam, dos séculos anteriores. Conseguiram imprimir um cunho esotérico ao catolicismo, deixando-o "semelhante" às outras religiões, mas excluindo-as, pois os dogmas criados tinham como objetivo torná-lo inquestionável, instrumentando a hierarquia sacerdotal para perseguir os descrentes instruídos – considerados pagãos - e, por isso, ameaçadores. Assim, formularam lima doutrina teológico-filosófica, apresentando-a baseada lia similaridade da trindade e do setenário com as outras religiões e crenças para que se tornasse dominante e sensibilizasse os questiona dores cultos - todos considerados heréticos - a aderirem ao catolicismo.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017


Sinopse: Em que consiste realmente, e o que se oculta por trás dos eventos rotulados de “juízo final”, já em curso no planeta? Qual o propósito da atuação do astro intruso e da verticalização do eixo terrestre, previstos para demarcar a Era de Aquário? E a seleção planetária, realmente já está se processando? Quem deverá continuar reencarnando no planeta Terra, na humanidade mais fraterna do terceiro milênio, e quem precisará repetir o curso elementar em escolas planetárias primitivas? Como se processa o fenômeno da profecia, e qual o verdadeiro simbolismo das imagens do Apocalipse?
Somente um mestre de sabedoria como Ramatís poderia esclarecer questões como essas, desvendando o planejamento sideral oculto por trás do rótulo do “juízo final”, detalhando o processo, e descrevendo a Terra transformada, física e espiritualmente, após a transição.
Temas iniciáticos como “Os engenheiros siderais e o plano da Criação”, “As Influências astrológicas e o signo de peixes”, “A distinção entre a descida angélica e queda angélica dos exilados de outros orbes” completam o atrativo desta obra vanguardista.
Há cinqüenta anos esgotando sucessivas edições, Mensagens do Astral tornouse um clássico da matéria, conquistando definitivamente o leitor pelo ineditismo, profundidade e clareza com que aborda esse tema palpitante.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

AS PROFECIAS


PERGUNTA: — Diante das inúmeras contradições que se observam entre as diversas profecias que o nosso mundo conhece, não seria preferível que as considerássemos como de pouca importância?

RAMATÍS: — Exatidão absoluta só encontrareis na eterna manifestação global de Deus! Uma vez que na própria esfera científica e positiva, do vosso mundo, retificais continuamente brilhantes teorias já consagradas e ás substituís por novos princípios mais lógicos, por que motivo exigis a ausência de contradições nas profecias que ultrapassam o entendimento comum do presente? Se há equívocos na vossa ciência académica, que é firmada em experimentações concretas, quanto mais na arte de profetizar, que só diz respeito ao futuro!

PERGUNTA: — Mas os equívocos encontrados nas profecias já consumadas não resultam em descrédito para as predições posteriores?

RAMATÍS: — Os erros ou os equívocos da vossa ciência oficial não invalidam as futuras pesquisas, nem afastam os cientistas dos seus labores comuns!
O antigo equívoco científico de que a Terra era o centro do vosso sistema solar foi posteriormente desfeito por Copérnico, autor do sistema heliocêntrico.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

MAGIA AUMBANDHÃ

Encerra-se o primeiro ciclo do movimento umbandista em solo brasileiro. Durante esse período, ele angariou grande número de simpatizantes e fiéis. Se observardes, não houve movimento filosófico e religioso no orbe terrícola que durante tão curto espaço de tempo consolidasse tal número de seguidores, caracterizando expressiva hoste. Constatai a sabedoria do Alto, da Fraternidade Branca, que planejou essa movimentação, que previu o sincretismo como maneira de, no menor período possível, arregimentar tantos simpatizantes, decorrência natural da própria formação racial do nativo de vossa pátria, em estreita conformidade com o carma da nação. O fato de não haver nenhuma codificação doutrinária foi fundamental nesse ciclo inicial de consolidação da Umbanda, pois, caso contrário, o movimento se estreitaria, tornando-se excludente e discricionário, ficando restrito a uma minoria étnica e social.
Não temos a pretensão, nestas singelas elucidações totalmente comprometidas com a verdade, de impor caminhos às criaturas nem de causar qualquer mal-estar aos mais ortodoxos em seus valores. Mas estamos comprometidos com o conhecimento universalista e crístico que palpita no Cosmo e com a expansão de vossas consciências neste início de Nova Era. É irreversível a unificação dos homens em um único sentimento amoroso neste Terceiro Milênio. Todo conceito novo e diferente de início desarranja a casa mental acomodada, qual tempestade de verão em solo empoeirado que, quando finda, traz brisa refrescante e bem-estar. Sem nos tornar digressivos nestes escritos, ou assaz maçantes àqueles acostumados aos raciocínios estreitos de uma única verdade, anestesiados que se encontram pela mesmice dos pensamentos previsíveis gerados pela leitura dos suaves romances, historietas novelescas e folhetins poéticos que hipnotizam a mente, paralisando-a diante da realidade espiritual perene que vos cerca, é chegado o momento de serdes mais "ousados" na proposta universalista e crística. É só olhardes para o que está ocorrendo em vosso orbe, em constante ameaça de uma Terceira Guerra Mundial, ação nefasta das sombras e de imprevisíveis repercussões no equilíbrio planetário, neste grão de poeira "insignificante" no Universo infinito, para sentirdes no âmago das vossas almas de crianças quanto estais necessitados de mensagens com este teor, livres dos destrutivos convencionalismos religiosos terrenos. Lembrai-vos de que os espíritos, no mais das vezes, não são espíritas, umbandistas, muçulmanos, cristãos, católicos, esotéricos, maçons, ocultistas, hinduístas, budistas, entre tantas outras denominações terrenas, na concepção limitada e linear da maioria dos retidos no ciclo carnal. Sois consciências em evolução, saudosos do Pai, tentando voltar ao seio da Divindade, à Perfeição Absoluta, Crística e Amorosa, e quiçá uma parcela significativa seja de consciências com um mínimo de Luz que já poderiam estar em paragens vibratórias mais sutilizadas, mas às quais, por benevolência, os Maiorais sidéreos concederam a permissão para a continuidade evolutiva e existencial, prestando auxílio caridoso a esta humanidade terrícola tão carente de despertamento amoroso e do verdadeiro sentimento crístico. Resgatai o conhecimento universalista milenar e antigo, destituído de mistérios, como forma de libertação das consciências que estão paralisadas, qual mofo persistente em porão escuro.
Um dos mistérios antigos da existência está simbolizado no número três, que seria como se fosse um pêndulo girando, ora da direita para a esquerda, ora da esquerda para a direita, produzindo o equilíbrio e o movimento no Cosmo. É a Trindade Divina: Vida, Verbo e Luz - Vita, Verbum e Lux -, que, na simbologia da Cosmogênese, podeis considerar também como a trindade cristã: Pai, Filho e Espírito Santo. O Pai é a Vida, o poder e a força que rege todas as Leis de Causalidade no Infinito cósmico; é a vida em
constante expansão, o movimento e a vibração que nunca cessam no Universo. O Filho é o Verbo, a palavra que sintetiza a forma, que estabelece os meios de manifestação da vida oriunda do Pai. O Espírito Santo é a Luz, não sendo nem substância, nem inteligência, mas o resultado da inteligência do Pai com a substância do Filho, sendo a Lei Maior Divina que regula a manifestação da forma nas diversas latitudes do Cosmo. Esse é o simbolismo do triângulo e da Cosmogênese Divina que já estiveram presentes no orbe terrícola em toda a sua amplitude, com a antiga Aumbandhã.
A significação dessa simbologia é que todas as formas de manifestação da vida são provindas de um mesmo Pai, e um princípio espiritual é a Lei da Harmonia no Cosmo, o Hálito de Deus onipresente e não encarnante, expressado como Orixás Maiores, regulamentando a manifestação dos espíritos na forma através das diversas densidades energéticas existentes no Cosmo. São os princípios herméticos caracterizando a Magia Universal ou Aumbandhã, a Senhora da Luz, agindo do microcosmo ao macrocosmo, da bactéria ao anjo, do protozoário ao arcanjo, pela equanimidade das leis cósmicas em todas as faixas vibracionais do Cosmo. A matéria-prima da Criação é a energia muito bem manipulada pelos alquimistas, ou o fluido cósmico universal dos espiritualistas e espíritas estudiosos. Essa magia dos orixás, movimento e vibração que rege a vida em todas as formas de manifestação, é oriunda da Consciência Cósmica, a mente do Pai, que Se sobrepõe a todos os demais espíritos, co-criadores, pois o Criador é uno.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

COMO SE APRESENTAM OS ESÍRITOS


Os caboclos são espíritos de índios brasileiros, sul ou norte-americanos, que dispõem de conhecimento milenar xamânico do uso de ervas para banhos de limpeza e chás para auxílio à cura das doenças. São entidades simples, diretas, por vezes altivas, como velhos índios guerreiros. Com sua simplicidade, conquistam os corações humanos e passam confiança e credibilidade aos que procuram amparo. São exímios nas limpezas das carregadas auras humanas, experientes nas desobsessões e embates com o Atral inferior. Na magia que praticam, usam pembas para riscar seus pontos, fogo, essências cheirosas, flores, ervas, frutas, charutos e incenso.
Os pretos velhos, tanto espíritos de idosos africanos escravizados e trazidos para o Brasil, como de negros que nasceram em solo pátria, são símbolos de sabedoria e humildade, verdadeiros psicólogos do profundo conhecimento dos sofrimentos e aflições humanas. Joana de Ângelis, a venerável irmã conhecida da lide espírita, conhecedora da alma e dos sofrimentos dos encarnados, arguta observadora do psiquismo, atua como mais uma singela e anônima vovó preta nas frentes umbandísticas, assumindo um nome simbólico, como tantos outros espíritos luminares, retomando a forma de uma antiga encarnação em solo africano. A todos, esses espíritos missionários consolam amorosamente, como faziam antigamente, inclusive nas senzalas após longo dia de incansável trabalho físico.
A infinita paciência em ouvir as mazelas e choramingas dos consulentes fazem dos pretos velhos as entidades mais procuradas nos terreiros. Assim como os caboclos, usam ervas em suas mandingas e mirongas. Suas rezas e invocações são poderosas. Com suas cachimbadas e fala matreira, espargem fumaça sobre a pessoa que está recebendo o passe e higienizam as auras de larvas astrais e energias negativas. Com seus rosários e grande amor, são notáveis evangelizadores do Cristo, e com muita "facilidade" doutrinam os obsessores que acompanham os consulentes.
Demonstram que não é o conhecimento intelectual ou a forma racial que vale no atendimento caridoso, e sim a manifestação amorosa e sábia, de acordo com a capacidade de entendimento de cada filho de fé que os procuram.
As crianças nos trazem alegria e o poder da honestidade, da pureza infantil. Aparentemente frágeis, têm muita força na magia e atuam em qualquer tipo de trabalho. Essa vibratória serve também para elevar a auto-estima do corpo mediúnico, após atendimentos em que foram transmutados muita tristeza, mágoa e sofrimento. É muito bom ir para casa depois de uma sessão "puxada" no terreiro, impregnados da alegria inocente das crianças.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

O APROVEITAMENTO ANÍMICO NAS COMUNIDAÇÕES MEDIÚNICAS


PERGUNTA: — Sob vossa opinião, como encarais o problema angustioso de todo médium em desenvolvimento, qual seja o animismo?

 RAMATIS: — Naturalmente não pretendemos endossar os abusos de imaginação, os exotismos e as excentricidades dos médiuns avessos ao estudo; presunçosos, interesseiros ou exibicionistas.
Reconhecemos, no entanto, a interferência ou associação de idéias no médium consciente, porque no seu esforço para lograr a passividade no transe, ele toma o conteúdo de sua alma como sendo manifestação alheia. Nem todos abusam do animismo sob propósitos condenáveis ou para fins vaidosos, por cujo motivo não aconselhamos a desistência do desenvolvimento mediúnico, só porque a interferência do médium perturba a transparência cristalina das comunicações dos espíritos desencarnados.
Se o virtuosismo do músico tem início no solfejo da singela escala musical "dó-ré-mi", a eloqüência do orador requer fundamento do "a b c" e o estro do poeta firma sua principal base no balbuciar da palavra infantil, certamente que o êxito mediúnico também se apóia inicialmente nos percalços do animismo.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

PROCESSO EVOLUTIVO


PERGUNTA: - Os teosofistas dizem que os arcanjos são entidades oriundas de uma linhagem à parte e jamais viveram na face da matéria, e cuja evolução ainda segue diretrizes diferentes dos homens. Isto é exato? 6

6 - Vide a obra "Fraternidade dos Anjos e dos Homens", de George Hogdson, que defende essa tese. Obra editada pela Livraria Editora O Pensamento.

RAMATÍS: - Seria equivalente a existirem dois sistemas diferentes no plano da Criação e da manifestação do Espírito em peregrinação, para adquirir sua consciência
individual. A observação e a lógica demonstram a existência de um único Sistema criativo os espíritos individualizados no seio de Deus. 
A centelha espiritual surge simples e ignorante em todas as latitudes do Cosmo e, lentamente, através de incontáveis passagens e vivências ela irá evoluindo gradativamente, até onde a nossa mente humana é incapaz de vislumbrar ainda nos primeiros degraus de sua individualização.
O esquema evolutivo determinado por Deus é um só: a sensação do animal, a emoção do homem, a sabedoria e o amor do anjo e a criação plena do arcanjo. São condições inerentes a todos os espíritos, porquanto Deus não modifica o processo de sua criação fora do tempo e do espaço. Não existem duas espécies de processos evolutivos, em que uma parte dos espíritos progride exclusivamente no "mundo interno" e a outra inicia-se pelo "mundo externo". A matéria, conforme prova a ciência moderna, é apenas "energia condensada"; em conseqüência, não há mérito para o ser evoluir apenas no seio da "energia livre" ou qualquer demérito em submeter-se aos grilhões da "energia condensada".

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Considerações sobre os pedidos de receitas apócrifas



PERGUNTA: - Há possibilidade de o médium criterioso e assistido por bons espíritos receitar para alguém já falecido, cuja consulta foi feita com intenção de confundir e desacreditar o intercâmbio mediúnico?
RAMATÍS: -
Isso é possível e até freqüente, pois há muitos médiuns intuitivos que confundem o seu próprio pensamento como sendo intuição dada pelos seus guias; e assim é fácil incorrerem nesse equívoco. Aliás, grande parte dos médiuns receitistas intuitivos são anímicos, resultando que as suas prescrições terapêuticas não podem resguardar-se de incorrer em semelhante falha.
Em tais condições, achamos que as receitas mediúnicas solicitadas através de médiuns intuitivos deveriam ser aceitas somente até à véspera dos trabalhos de receituário, a fim de
que os espíritos responsáveis pelos mesmos disponham de tempo suficiente para examinar os enfermos, indicar a medicação adequada e identificar qualquer pedido apócrifo, referente a pessoas já falecidas.
Não é possível êxito absoluto num receituário mediúnico desarticulado, conduzido às pressas, conforme é comum na maioria dos centros espíritas, devido a inexperiência, ignorância e indisciplina nos trabalhos. E também seria conveniente limitar-se a quantidade de receitas para cada sessão, evitando-se receituário excessivo, pois exige do médium um dispêndio de energias que resulta em fraca sintonia com o guia assistente. E os casos mais graves ou de urgência deveriam ser atendidos à parte, longe do público, em ambiente mais calmo, a fim de possibilitar ao médium poder captar, com mais fidelidade, as intuições quanto à medicação para cada enfermo.

domingo, 8 de janeiro de 2017

RECURSOS DE "ÚLTIMA HORA"

PERGUNTA: - Quais são os recursos mais eficientes que os espíritos "guias" adotam para desviar os seus protegidos dos vícios, das paixões e dos prejuízos espirituais?

RAMATÍS: - Os guias, às vezes, também se servem dos próprios espíritos inferiores, permitindo que eles perturbem seus pupilos encarnados, no sentido de afastá-los, com urgência, de caprichos ou atividades prejudiciais à sua integridade espiritual. Em tais casos, eles agem com severidade, sem o sentimentalismo comum dos pais terrenos ante os filhos indisciplinados, entregues a hábitos que lhes são bastante nocivos. São recursos drásticos, mas sensatos e prudentes, com o intuito salutar de impedir os seus protegidos de participarem da aventura pecaminosa, transações desonestas ou paixões perniciosas. Então os mentores espirituais recorrem aos fluidos agressivos e por vezes enfermiços, dos espíritos sofredores ou primários, a fim de reter no leito de sofrimento as criaturas imprudentes, que não lhes ouvem as intuições benfeitoras. E quando se faz necessário providenciam até o acidente corretivo como recurso de urgência para interromper as atividades nocivas e evitar que os seus tutelados vão adiante em quaisquer objetivos nocivos a terceiros e a si próprios. Embora essas providências drásticas dos guias vos pareçam um tanto violentas e impiedosas, o seu objetivo ou finalidade é obrigar as criaturas imprudentes a afastarem-se dos meandros do mal, evitando-lhes maiores prejuízos ao espírito já comprometido no passado.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A INFLUÊNCIA DO SIGNO DE PISCES SOBRE JESUS.



PERGUNTA: — Finalmente, qual foi a natureza característica da influência do signo de Pisces sobre Jesus, sua obra e seus apóstolos?

RAMATíS: — Como um signo dura 2.160 anos e o advento de Jesus se fez há 2.000 anos, isto é, depois de ter-se iniciado o signo de Pisces, então a humanidade do Terceiro Milênio há de viver sob a influência de outro signo, o próximo, que é Aquário. Sob este signo os homens tendem a desenvolver a mente e a consolidar, em definitivo, as qualidades despertas e cultivadas sob o signo de Pisces. A linguagem poética da Astrologia assim se refere sobre os homens nascidos sob o signo de Pisces: "São profundamente emotivos, irradiando simpatia, mesmo quando rudes ou fracos; inquietos, interessam-se pela sua vida psíquica; são receptivos às mensagens elevadas, hospitaleiros e desinteressados; são românticos, sonhadores e conhecidos por médiuns; sofrem e se amarguram quando ofendem ou prejudicam alguém; podem falhar na primeira investida ao ideal superior, mas corrigem sua indecisão, e às vezes o fazem com o sacrifício da própria vida". Embora considerando-se que tais qualidades já devem existir enraizadas nos indivíduos, mesmo antes da influência de um signo astrológico, como Pisces, o certo é que tanto os Essênios, como os cristãos, ajustam-se perfeitamente a essa definição. O signo de Pisces ou de Peixes, deixou sua marca inconfundível nos empreendimentos de Jesus. O próprio Mestre ficou conhecido como o "Pescador de Almas" e os seus primeiros discípulos foram pescadores; a senha que usavam entre si era a figura de dois peixes entrelaçados; a própria Igreja ainda conserva nas mitras dos seus bispos a forma exata de uma cabeça de peixe; e na Quaresma proíbe a carne, mas não o peixe!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...