Sabedoria Ramatís

Sabedoria Ramatís

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O Duplo Etérico e suas funções – X






PERGUNTA: De que modo as drogas hipnóticas, os entorpecentes ou anestesiantes são prejudiciais aos médiuns de fenômenos físicos, mecânicos, psicógrafos ou de incorporação total?



RAMATÍS:  As anestesias operatórias, os antiespasmódicos, os gases voláteis, os sedativos hipnóticos, os barbitúricos, o óxido de carbono, o fumo e certos alcalóides, como a mescalina, o ácido lisérgico e outros, são substâncias que operam violentamente nos interstícios do duplo etérico, pois a catalepsia, o transe mediúnico, a anestesia total, a hipnose e o ataque epiléptico resultam mais propriamente do afastamento súbito desse corpo delicado e responsável pela absorção vital do meio. Embora a necessidade obrigue o médium a se utilizar de tais substâncias, em momentos imprescindíveis, é sempre imprudente abusar delas sob qualquer pretexto ou motivo.

As drogas entorpecentes e os gases anestesiantes, em geral, afastam o duplo etérico pelo lado esquerdo, à altura do baço físico e sobre o qual funciona o "chacra" esplênico; isso provoca transes, hipersensibilizações e inconvenientes, caindo a temperatura do corpo e reduzindo-se a vitalidade orgânica.

Durante a materialização, a hipnose, a anestesia e o sono, reduz-se a taxa do Prana ou Vitalidade que é absorvida comumente através do meio ambiente por esse chacra ou centro esplênico. Então o duplo etérico, nessa ocasião, tende a projetar-se para o mundo oculto, no qual ele se sente "à vontade" e se mostra mais sensível e eufórico, enquanto revigora-se de Prana, sem necessidade de alimentar o corpo físico adormecido. 6

terça-feira, 14 de outubro de 2014

O Duplo Etérico e suas funções – IX





PERGUNTA:  Explicou-nos, alguém, que os médiuns são indivíduos mais vulneráveis aos efeitos tóxicos secundários das medicações sedativas, drogas hipnóticas, anestesias operatórias ou entorpecentes porque também são mais sensíveis do que o homem comum. Isso é verdade?



RAMATÍS: - Os médiuns, em geral, são nervosos e doentios, facilmente afetados pelos fenômenos materiais do meio onde vivem, das reações morais, emotivas e mentais dos demais seres que os cercam no mundo. Eles vivem superexcitados pelas preocupações mais comuns, enquanto as coisas mais simples avolumam-se e os afligem por causa da mente hipersensível e do contato mais freqüente do seu duplo etérico com o mundo oculto. O desvio parcial do duplo etérico e do perispírito, o que ainda é bem mais acentuado nos médiuns de efeitos físicos do que nos outros medianeiros, mantém-se em sintonia freqüente com a humanidade desencarnada e fazendo-os sofrer a influência dos sentimentos e das emoções boas ou más, projetadas daqui pelos espíritos desencarnados.

Acresce, ainda, que as substâncias alopáticas, tóxicas, agressivas e entorpecentes deixam resíduos cruciantes no éter físico que flui pelo sistema nervoso dos médiuns, assim como também pressionam o seu perispírito e o duplo etérico, aumentando a "frincha" ou "janela viva" que se entreabre para o lado de cá. Isso exige do médium vigilância constante nas suas emoções, pensamentos e atos, aconselhando-o a fugir das paixões e dos vícios lesivos, caso deseje resistir à vontade subvertida, às desmedidas ambições e aos projetos sinistros dos espíritos malévolos e mistificadores.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

O Duplo Etérico e suas funções – VIII





PERGUNTA: Poderíeis dar-nos um exemplo mais concreto desse desvio magnético do perispírito e do duplo etérico, que se processa à esquerda do homem e à altura do baço, facultando-lhe um contato mais freqüente ou de maior intercâmbio com o Invisível?

RAMATÍS:  Tratando-se de um assunto transcendental, que não podemos exemplificar de modo substancioso por falta de vocábulos adequados ou exemplos técnicos familiares, nós só podemos compará-lo ao fenômeno ainda inexplicável pela Ciência do Mundo, qual seja a diferença que também existe entre os pólos geográficos e os pólos magnéticos da Terra. É evidente que a Terra também possui o seu duplo etérico, o qual é composto da soma do éter físico de todos os corpos etéricos e seres existentes à sua superfície. Considerando-se que o duplo etérico da Terra a interpenetra por todos os seus poros e interstícios físicos, transbordando numa aura gigantesca radioativa que se irradia a alguns quilômetros do seu contorno esférico, o certo é que também não coincidem no orbe a sua linha vertical magnética com a linha geográfica do pólo Norte ao pólo Sul. Verifica-se, assim, que também existe uma diferença entre a linha perpendicular dos polos geográficos com a perpendicular dos pólos magnéticos, coisa que facilmente se pode comprovar pelo desvio da agulha magnética da bússola, sempre a apontar o pólo Norte magnético mais à esquerda do mesmo pólo geográfico. Embora tal acontecimento seja um fato comum e explicável para os iniciados e fique no terreno das conjecturas para os cientistas terrenos, o certo é que esse desvio do duplo etérico da Terra é também uma hipersensibilidade natural do orbe em seu progresso para desideratos superiores.. No entanto, se a maior abertura etérica do orbe terráqueo para o mundo oculto só traz benefícios à sua humanidade, no caso dos médiuns eles necessitam de constante vigilância aos seus atos no mundo físico, pois as entidades malfeitoras do Invisível os espreitam a todo momento através desse pórtico psíquico vulnerável. Raros médiuns de fenômenos físicos puderam atingir o final de sua existência terrena de modo lisonjeiro, pois, em geral, os maquiavélicos "das sombras" conseguiram perturbar-lhes o mandato sideral expondo-lhes o orgulho, a vaidade, a cupidez e despertando-lhes interesses mercenários na especulação censurável de sua mediunidade. 5
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...