Sabedoria Ramatís

Sabedoria Ramatís

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

A lei cármica



PERGUNTA:  A lei Cármica tem alguma relação íntima com os padecimentos de certas criaturas submetidas a tratamentos dolorosos através da cirurgia ou da terapêutica alopática?



RAMATIS:  Atualmente, devido ao estado moral e espiritual do cidadão terreno, a Lei Cármica ainda lhe preconiza um tratamento doloroso, à base de hipodérmicas, tubagens, cauterizações, drenos, operações ou extrações de órgãos combalidos, aplicações e ingestão de medicamentos repulsivos, tóxicos e lesivos, que funcionam como efeitos das causas culposas do passado.

Em face de haverem evoluído os métodos punitivos das leis humanas, com a abolição das torturas medievais, os médicos — muitas vezes sem que o saibam — funcionam como instrumentos de retificações cármicas nos seus pacientes. Aqui, o usurpador cruel do passado, que oprimia os seus adversários políticos, sofre atrozmente devido à chaga infecciosa e rebelde, que surge num órgão que foi operado precipitadamente; ali, é o velho inquisidor do “Santo Ofício” que, estirado no leito de luxuoso hospital, mostra-se completamente perfurado por hipodérmicas, com as carnes maceradas pelas seringas dos soros e transfusões de sangue, que pingam através de tubos suspensos e aparelhos especiais, como se fossem instrumentos de tortura; acolá, o feroz fazendeiro, que se servia do fogo para supliciar os seus infelizes escravos, encontra-se transformada noutra figura humana submetida a terríveis cautérios e intervenções cruciantes, enquanto o seu coração combalido não permite a menor intervenção da anestesia para fazê-lo esquecer o sofrimento!

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Por que isso foi acontecer justamente comigo?


Era a pergunta que fazia, entre lágrimas, uma mãe desesperançada, ajoelhada aos pés da médium incorporada. Os cabelos desalinhados demonstravam pouco caso com o corpo físico, contrariando a mulher que fora algum tempo atrás, quando a vaidade era ponto preponderante em sua personalidade. Os anéis que enchiam seus dedos já não tinham o brilho da jóia cara, pois haviam perdido o valor que sempre dera a eles. Estava ali depois de ter passado por muitos lugares, mas em nenhum encontrara a resposta para aquela pergunta. 
A dor terrível da perda ainda lhe corroía o coração. Fazia mais de dois anos que seu único filho havia desencarnado com apenas três anos de idade. Carregava com ela uma foto do principezinho de olhos azuis. Desde a perda, sentia corno se lhe tivessem arrancado um braço, deixando se esvair por ali parte de sua energia vital e todo o seu prazer pela vida. 

A preta velha escutava pacientemente os lamentos daquela mãe, enquanto buscava, usando seu adestrado poder mental clarividente, realizar em outro nível, fora do plano físico, a transmutação das formas-pensamento plasmadas e vivificadas por aquele espírito em desequilíbrio. 

Pela magia do amor, convocava os elementais para que pudessem efetuar, com seus respectivos elementos, a profilaxia necessária nas larvas astrais que se acumulavam em seus centros de força. A movimentação que se realizava no plano astral era intensa e ignorada pela mulher, que, enclausurada em sua dor, só queria uma resposta que lhe alentasse o coração. Percebendo que, por ligações ancestrais, aquele ser estava sendo alvo de indução mental negativa, num total desrespeito ao seu merecimento, denotando um processo obsessivo mórbido que a ligava a um bolsão de espíritos do Umbral inferior, renitentes e materialistas, a bondosa e sábia preta velha convocou a presença do exu de sua serventia, que, adentrou aquele lugar com sua falange, retendo-os e encaminhando-os ao aprendizado necessário num entreposto transitório do Astral, restabelecendo a justiça até as devidas deliberações pelos Maiorais siderais. Ao mesmo tempo, era prestado socorro a muitos outros espíritos sofredores alienados e vencidos pela dor, que, por sintonia vibratória (semelhante atrai semelhante), intensificavam, por repercussão vibratória, o estado de torpor mental da mãe revoltada com a perda do filhinho. 

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O AUMENTO INDISCRIMINADO DA HUMANIDADE.



Pergunta: No entanto, cientistas, eugenistas, psicólogos, nutriologistas, sacerdotes, pastores e até espiritualistas bem esclarecidos justificam a limitação de filhos,  alegando que o aumento indiscriminado da humanidade criará as mais dolorosas tragédias provenientes da falta de alimento!
Ramatís: A argumentação é bastante ingênua e até capciosa, por parte desses estudiosos, pois a Terra tem capacidade para suportar o triplo da atual humanidade sem problemas nutritivos, os quais não são de culpa divina, mas da irresponsabilidade humana!
Deus é o pano de fundo da consciência de todos os homens, proporcionando-lhes o ensejo e os recursos de desenvolverem a sua consciência espiritual. O crescimento angélico não é processado através de cordéis movidos, pelos hierárquicos do mundo oculto, mas produto da vivência do homem no trato com as experiências do mundo, nos equívocos e acertos que nutrem as iniciativas pessoais! Em consequência, o problema de alimentação do mundo não procede do perigo de superprodução, mas de o homem aplicar sabiamente o comando de sua consciência na eliminação dos fatores que reduzem ou destroem a produção nutritiva do mundo!
Se o homem esgota totalmente as suas reservas econômicas, porque aplica estupidamente a receita financeira em guerras fratricidas, perseguições, morticínios religiosos, movimentos políticos onerosos, choques doutrinários antifraternos, ou então exaure o tesouro público em iniciativas bombásticas e tolas, mantendo clãs aristocráticos, principados circenses, reinados convencionais ou concursos e festividades improdutivos, é evidente que o Criador não se responsabiliza por tanta imbecilidade humana!
Qualquer criatura em dia com o noticiário de imprensa sabe que o suficiente para alimentar milhões e milhões de criaturas é consumido perversa e estupidamente na confecção de aparelhamento belicoso, artefatos atômicos, na manutenção de esquadras e aviação militar, cujos povos são dominados pela ambição, ciúme e orgulho!

terça-feira, 25 de agosto de 2015

O Brasil e a sua missão social e espiritual sob a égide do Espiritismo.




PERGUNTA: - Quase todos os mentores espirituais que falam à Terra são unânimes em afirmar que o Brasil, sendo o país mais espírita do mundo, 1 está fadado a desempenhar, no futuro, uma alta função moral e espiritual no seio da humanidade. Podereis citar alguns fundamentos objetivos, que justifiquem semelhante prognóstico?
1 - Nota do Revisor: Na assembléia dos prelados e reitores católicos que se realizou em Roma, o secretário do Conselho Episcopal Latino-Americano afirmou ser o Brasil "o país mais espírita do mundo" (jornal "O Globo" de 27-9-1958).

RAMATÍS: - Efetivamente, à medida que o Povo brasileiro se espiritualizar assimilando conscientemente o racionalismo do processo reencarnacionista, ou seja, a grandeza e a amplitude moral das vidas sucessivas, que transformam o homem imperfeito, de hoje, no anjo futuro, o Brasil fará jus a receber novos acréscimos do Alto, que o habilitarão a ser, não somente o celeiro material do mundo, mas também um farol moral e espiritual da humanidade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...