Sabedoria Ramatis

Sabedoria Ramatis

domingo, 16 de abril de 2017

"O FIM DA HUMANIDADE ANTI CRISTÃ"


PERGUNTA: O nosso globo desaparecerá do Cosmo, nesse fim de mundo?

RAMATÍS:
Oh! Por favor, não subestimeis tanto a obra do Pai! A Terra ainda é um planeta jovem, que mal se prepara para os admiráveis eventos do futuro, quando oferecerá as mesmas alegrias de Marte, de Júpiter e de Saturno, que atualmente são júbilos para suas humanidades! O "fim de mundo" profetizado refere-se tão-somente ao fim da humanidade anticristã; será uma seleção em que se destaquem os da "direita" e os da "esquerda" do Cristo. Trata-se de promoção da Terra e de sua humanidade; lembra um severo exame que, para os alunos relapsos e ociosos, representa terrível calamidade! Mas de modo algum a vossa morada
planetária sairá do rodopio em torno do Sol, onde também constitui importante âncora do sistema. Após a operação cósmica, que lhe será de excelente benefício para a estrutura geofísica, deverá possuir maior equilíbrio, melhor circulação vital energética na distribuição harmônica das correntes magnéticas, além de oferecer um ambiente psíquico já higienizado.
Mesmo depois que o vosso orbe já estiver desabitado e houver cumprido a sua missão educativa no Cosmo, ainda circulará em torno do Sol, qual nave cansada à espera do derradeiro piloto para conduzi-la ao porto final! Na figura de um esplêndido viveiro de "consciências espirituais", que em sua massa planetária se espalharam, vindas da Consciência Cósmica, a Terra vos doará as túnicas resplandecentes de futuros propostos do Pai, destinados a cooperar na obra divina!

ELUCIDAÇÕES DE RAMATÍS SOBRE A AURA HUMANA.


PERGUNTA: - Poderíeis dar-nos a descrição pormenorizada dos princípios que constituem a aura humana?
RAMATÍS: -
A aura humana resulta do amálgama ou da fusão de sete princípios fundamentais, que compõem o homem e variam na sua massa de luz, cor, energia e odor, conforme seja o caráter, temperamento e a graduação espiritual do ser. Ainda se fundem no todo áurico do homem outras emanações provenientes do próprio corpo físico, como o seu magnetismo, calor, odores e a eletricidade biológica.
Como a carga enfeitiçante projetada no processo de bruxaria atinge em primeiro lugar a chamada "aura da saúde", emanada propriamente do corpo físico e, em seguida, afeta fortemente a "aura prânica" ou vital, cuidaremos principalmente destas últimas. Aliás, a aura da saúde configurada pelos eflúvios prânicos ou vitais funde-se com a própria aura física revestida de calor e odor humanos, especificidade magnética e eletrização do homem, formando o conjunto mais compacto à visão perispiritual. Ademais, ela irradia também as exsudações dos próprios minerais organogênicos em atividade no corpo carnal, como ferro, cádmio, fósforo, flúor, cobre, titânio, cálcio e outros, inclusive o que poderíamos dizer "transmigração nervosa". Há, ainda, uma cintilação que vai do alumínio fosco, por vezes rosado, até ao tom de prata ou níquel, que se exorna diretamente do duplo etérico e dos "chacras", ou centros de forças que interligam o perispírito à sensibilidade humana. Essa aura da saúde, a mais grosseira do homem, mostra-se numa cor branco-azulada de água clara em sua manifestação comum, algo de metálica e brilhante. Tem o aspecto do ovo vaporoso e estriado, cuja casca é semelhante a uma crina eriçada de agulhas cintilantes, as quais são retas e claras, quando há saúde e vitalidade, e torcidas, enrosca das ou obscuras, como cabelos encrespados nas zonas enfermiças do corpo humano. 
Lembra uma veste de pele de marta, por exemplo, onde em vez de pêlos existam agulhas finíssimas em tom de alumínio brilhante. A aura da saúde desprende partículas radioativas impregnadas de éter físico, as quais permanecem longo tempo no local onde são projetadas, assinalando a pista da pessoa ou animal que transitou por ali, e que os cães farejam pondo-se no encalço de fugitivos ou desaparecidos. 2 Mas como a água absorve a eletricidade, os cães perdem o faro do fugitivo que atravessa a água corrente.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

RAMATÍS - "EFEITO FAVORÁVEL OU PREJUDICIAL"



PERGUNTA: - Considerando-se que Deus é a Perfeição, porventura, o Diabo, que nos parece a contrafação divina, não é a base antípoda para configurarmos essa Perfeição?

RAMATÍS: -
No processo de aperfeiçoamento do espírito, através das vidas físicas, a Administração Divina estatuiu dois caminhos opostos de ação e efeito favorável ou prejudicial. Assim, quem se toma um súdito de Satã estaciona e retarda a sua própria ventura definitiva, quando de sua metamorfose para o estado puro divino. Mas o discípulo do Senhor palmilha, incessantemente, pela senda das virtudes, que sublimam e aureolam a conscientização espiritual. Assim, ficou estabelecida a dinâmica, que acelera o campo vibratório do espírito do homem, como um processo divino, e a dinâmica que retarda a evolução espiritual apegada à fenomenologia transitória da vida puramente animal. 
O anjo é o produto da sublimação da própria linhagem animal; por isso, ele tem o corpo de bronze e os pés de lama. É a luz divina que, para iluminar a lâmpada humana, socorreu-se do combustível inferior da própria animalidade. Assim, um santo poderia já ter sido o diabo, e um diabo poderá ser um santo. Conforme referimos alhures, Gandhi já poderia ter sido um Hitler, porque Hitler ainda será um Gandhi, tanto quanto o Cristo poderia ter sido um Nero, porque Nero já pode ser um Cristo.

O EVANGELHO À LUZ DO COSMO - RAMATIS

O APERFEIÇOAMENTO DO HOMEM ÀS LEIS DO COSMO


PERGUNTA: - Como poderíamos entender melhor esse aperfeiçoamento do homem, ao submeter-se às leis científicas do Cosmo?
RAMATÍS: -
o super-homem ou o anjo, em verdade, é a etapa final do curso do espírito que se individualiza e se emancipa no seio da Divindade. É, então, a chama consciente ou centelha sideral do Criador, que embora jamais se desvincule de sua fonte divina, sente-se e sabe-se uma criatura existente e definida no Universo. É o ser que, sob a égide da Lei, alcança a consciência nítida de "si mesmo", observa e vive as sínteses de suas experiências e vivências nos mundos físicos, e passa a aplicar a sua sabedoria e poder na Criação, justificando o próprio enunciado de Jesus: "Vós sois deuses".
É uma realização superior do ser, que a Lei o integra, pacífica e conscientemente, ao ritmo da pulsação criadora, comprovando-se o aforismo de que "o homem é perfeito, como perfeito é o Pai". No seu microcosmo, o espírito consciente, então, despertou todas as qualidades macrocósmicas do Criador; o reino microcósmico humano preenche-se com o reino macrocósmico Divino.

PERGUNTA: - Considerando-se que está tudo certo no Universo e que "não cai um fio de cabelo da cabeça do homem, que Deus não saiba", quando é que o homem é "mais" ou "menos" perfeito, se nada sabemos positivamente o que é em absoluto o estado divino perfeito? Como verificar quanto o homem é perfeito ou imperfeito, sem contarmos com a própria base divina, que nos indique o que é realmente a Perfeição?

RAMATÍS: - Sem dúvida, ainda viveis num mundo primário e limitado pelas formas transitórias, como é a Terra, o que justifica a grande dificuldade de entenderdes a natureza de Deus, sob algum exemplo comparativo e tão deficiente da vida humana.
Cremos que seria bem mais fácil Einstein lograr sucesso ao transmitir a um hotentote o
esquema dinâmico da Lei da Relatividade, do que um terrícola aperceber-se, satisfatoriamente, da verdadeira contextura de Deus. Jamais qualquer concepção humana, firmada nos fenômenos e acontecimentos relativos e transitórios do mundo físico, poderia explicar a realidade Divina em sua essência pura. Em conseqüência, a concepção de Deus evolui tanto e se aperfeiçoa, quanto seja também o maior índice científico e intelectivo do próprio homem. Os mais abalizados filósofos e pensadores do vosso orbe jamais podem conceituar a natureza de Deus, além de um gigantesco fantasma, com todos os atributos louváveis do próprio homem e elevados ao infinito. 

"SEDE PERFEITOS"



                                            Mateus, 5:48
 
PERGUNTA: - Qual é a relação científica entre as leis do Cosmo e o conceito de Jesus, quando assim diz: "Sede, pois, vós outros, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celestial". (Mateus, 5:48).
RAMATÍS: -
Sob tal conceito, Jesus convoca o homem terrícola para desenvolver e adquirir, conscientemente, as qualidades que são permanentes em Deus. Sem dúvida, para o homem ser perfeito, ele precisa conhecer e aceitar as Leis do Universo, as quais dirigem e disciplinam todas as coisas e todos os seres em aperfeiçoamento.
O espírito encarnado na matéria, para alcançar a perfeição, precisa ajustar-se espontaneamente aos princípios universais, os quais derivam da Lei Única e do comando
criador de Deus. Doutro modo, o ser humano e as coisas da vida continuariam fora de ritmo
evolutivo ou ascensional, pois, isolados da Fonte Criadora Divina, perderiam o rumo como navio sem bússola perdendo precioso tempo em prejudicial deriva. Sob o amparo e a compreensão dessas leis evolutivas, o homem alcança mais breve o curso definitivo e prazenteiro da Vida Eterna.
Assim como um corpo sadio deve funcionar absolutamente integrado às leis de fisiologia e anatomia, o espírito perfeito reflete em si o ritmo harmonioso das leis que equilibram o próprio Cosmo. Há, portanto, uma perfeita relação entre as leis do Cosmo e o conceito evangélico de"sede perfeitos"e, conseqüentemente, todos os filhos de Deus
também hão de procurar ser perfeitos, quando ajustarem-se integralmente aos princípios menores que se derivam da Lei Maior. A concepção moral de perfeição é uma decorrência natural da dinâmica aperfeiçoadora da Lei Divina, ou seja, da parte ao Todo.

PERGUNTA: - Qual é a concepção de perfectibilidade do homem, que se subordina ao ritmo apeifeiçoador da Lei Única e regente do Cosmo?

RAMATÍS: -
É evidente que tendes de vos basear nos conceitos relativos e conhecidos do vosso mundo físico para, então, deduzirdes, comparativamente, na concepção melhor possível do Absoluto. Se o animal é uma fase e composição primária, que esquematiza e plasma a futura configuração humana, o homem, por sua vez, é uma fase primária da concepção do "super-homem" ou do futuro anjo. No vosso entendimento, o anjo ou super-homem deve ser uma criatura emancipada das ilusões, paixões, dos caprichos e desejos que ainda o prenderiam à matéria. Há de ter uma consciência na plena posse de todas as experiências efetuadas nos mundos educativos do universo físico, completamente
livre de quaisquer problemas e desejos, que possam imantá-la à periferia dos orbes planetários. Nada deve atraí-Ia em direção ao campo gravitacional imantador físico, pois deve estar desligada dos acontecimentos e fenômenos da vida humana, como se eles jamais existissem.
Em caso contrário, apesar de já situar-se nos ambientes paradisíacos, não usufrui da ventura a que fez jus, uma vez que ainda o convocam da Terra desejos, prazeres e paixões de ordem física. 1 O anjo ou super-homem é a entidade que, em face de sua libertação absoluta de todos os campos e planos da vida terrícola, então se move em pleno direito ao trânsito incondicional do Cosmo, sem sofrer qualquer atração do mundo exterior da matéria.
1 - Cabe, aqui, a reprodução do seguinte trecho do capítulo "Treino para a Morte", da obra "Cartas e Crônicas", pelo espírito de Irmão X, através da mediunidade de Chico Xavier, que assim descreve:
"Preliminarmente, admito deva referir-me aos nossos maus hábitos. A cristalização deles, aqui, é uma praga tiranizante. Comece a renovação de seus costumes pelo prato de cada dia. Diminua gradativamente a volúpia de comer carne dos animais. O cemitério na barriga é um tormento, depois da grande transição. O lombo de porco ou o bife de vitela, temperados com sal e pimenta, não nos situam muito longe dos nossos antepassados, os tamoios e os caiapós, que se devoravam uns aos outros.
Os excitantes largamente ingeridos constituem outra perigosa obsessão. Tenho visto muitas almas de origem aparentemente primorosa, dispostas a trocar o próprio Céu pelo uísque aristocrático, ou pela nossa cachaça brasileira. Tanto quanto lhe seja possível, evite os abusos do fumo".

domingo, 9 de abril de 2017

O MAL DE HANSEN


PERGUNTA:  Que dizeis sobre a lepra que, além de causar um sofrimento tão acerbo, ainda deforma suas vítimas?

RAMATIS:
  A lepra provém quase sempre de uma grande drenação de venenos que baixam do perispírito. Isso tanto pode acontecer aos espíritos que tomaram a decisão espontânea de concentrar o mais possível os fluidos nocivos do seu perispírito, acelerando o expurgo violentamente para a carne, assim como também àqueles que, sendo portadores de toxinas psíquicas demasiadamente virulentas, quando as despejam para a matéria, embora o façam na menor dose possível, também produzem a estagnação fluídica apropriada para nutrir os bacilos de Hansen, que são os germes causadores da lepra.
O leproso, cuja situação pungente ainda mais se agrava pelo imperativo de isolar-se da família, é obrigado a uma vida de grande introspecção e dolorosas reflexões, tendo de reconhecer que nada mais lhe resta de esperança no trato com o mundo exterior. Então sublimase pela concentração de energias espirituais e pela catarse psíquica, que o ajuda a desagregar mais breve o veneno fluídico incrustado no perispírito, à semelhança da lente que conduz os raios solares para um mesmo ponto de convergência. O seu corpo torna-se um dos mais vigorosos condensadores vivos, absorvente das emanações deletérias do perispírito; é como um vasto mata-borrão que, depois de completamente embebido das toxinas do psiquismo doente, deve despejá-las no seio da terra, num admirável processo de enxugamento da alma contaminada.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...