Sabedoria Ramatis

Sabedoria Ramatis

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

A ÚLTIMA CEIA DE JESUS...




PERGUNTA:  E que dizeis da última ceia de Jesus com os .seus apóstolos? Realmente aconteceu tudo como explicam os evangelistas?




RAMATÍS:  A tradicional "santa ceia" comemorada pela Igreja Católica Romana, em verdade, precedia a cerimônia do "lava-pés", habitualmente realizada na sexta-feira, chamada a véspera do "grande sábado" da Páscoa. Era costume tradicional reunirem-se as famílias para essa refeição fraterna, onde se faziam promessas de vida feliz e em comum para o futuro. Nas famílias mais ricas trocavam-se presentes entre os membros da casa ou parentes de fora. Assim, Jesus a instituiu também com os seus apóstolos, pois os considerava a sua família itinerante, os seus verdadeiros parentes escolhidos pelo Senhor. Desejando torná-la mais expressiva, decidiu harmonizar a cerimônia da ceia da Páscoa com o lava-pés, que já era um culto ideado por João Batista, a finalidade de congraçamento entre os discípulos e os seus rabis ou mestres.

Em virtude do Mestre ter antecipado a cerimônia do lava-pés para a noite de quarta-feira, pois estava certo de ser preso de um momento para outro, então ambas as cerimônias foram feitas na mesma ocasião. Ao entardecer, os discípulos reuniram-se no aposento mais espaçoso da residência de Jeziel, o qual comemoraria a sua ceia de Páscoa na dia seguinte, quinta-feira, o dia exato. Após as orações e os cânticos de hinos, que eram motivos de alta espiritualidade no movimento cristão, os servos de Jeziel serviram a ceia de Páscoa, com a prodigalidade dos tradicionais pães e o vinho tinto, que Jesus abençoou como era de praxe.

domingo, 27 de setembro de 2015

O CURSO INICIÁTICO DE JESUS NA TERRA


PERGUNTA:  Como pôde Jesus assimilar tantos conhecimentos sobre o homem, sem um curso acadêmico ou disciplina filosófica do mundo, tão necessária para os mais abalisados pensadores?
RAMATÍS:   A humanidade profana ainda ignora o curso iniciático da vida de Jesus em que José de Arimatéia foi o seu cicerone dedicado e fiel. O jovem Jesus, além das intuições do muito que a sua própria alma já aprendera, rebuscou todos os movimentos espiritualistas e iniciáticos da época, na Judéia, e nações circunvizinhas; motivo porque a sua vida é cheia de hiatos e períodos desconhecidos dos seus mais fiéis biógrafos. Ele investigava e inquiria sobre todas as práticas da velha iniciação habitual na índia, no Egito e na Grécia, e seu espírito assimilava, com incrível rapidez, todo o conteúdo iniciático de cada escola. Descobria com facilidade as raízes fundamentais do ritualismo simbólico; e, embora jovem, os seus conceitos já valiam tanto quanto a palavra de muitos Mestres de sua época.
Entre os essênios, ele se distinguia pelo profundo respeito a todos os credos e movimentos espiritualistas; a sua apreciação ao trabalho religioso no mundo era de absoluta universalidade. Os velhos anciãos dos santuários situados nas grutas dos montes Horeb, Carmelo, Moab e Tabor afirmavam que se tratava de um jovem destinado a alguma extraordinária e importante missão entre os homens. E opinavam que ele deveria entregar-se a uma tarefa de esclarecimento das multidões. No entanto, o jovem Jesus, quer pela sua humildade ou porque achava prematura qualquer decisão em tal sentido, preferia silenciar a respeito. Algumas vezes, quando se fazia maior a insistência dos mestres essênios, então respondia-lhes que "se for da vontade do Pai que está nos céus, Ele me indicará a hora de minha missão!"

sábado, 26 de setembro de 2015

Os sinais dos tempos.



PERGUNTA:  Assim que se sucederem todos os acontecimentos previstos para o juízo final, o terceiro milênio há de surgir como um deslumbrante ensejo de espiritualidade e sanidade moral?

RAMATÍS:  Não deveis sujeitar os acontecimentos siderais ao controle do vosso calendário humano, que se baseia nos movimentos corriqueiros da Terra em torno do Sol. Antes que o terrícola houvesse criado o calendário humano, os eventos do juízo final já estavam determinados com absoluta precisão, nos planos da engenharia sideral. Não é a ampulheta terrestre que há de determinar, especificamente, a época exata dos fatos proféticos, mas são os sinais dos tempos, previstos pelas profecias do passado que assinalam o momento chegado. Não há afobação, na mecânica sideral, para que esses acontecimentos se realizem exatamente em vésperas do terceiro milénio ou sejam registrados à última hora, para não ultrapassarem as tradições humanas. O terceiro milénio é o ensejo repleto de melhores esperanças para a vossa humanidade, porque é exatamente o período que se sucede aos mais importantes acontecimentos do vosso mundo.

“Umbanda no solo dessa pátria chamada Brasil”.






PERGUNTA:  A Umbanda, enquanto expressão de religiosidade, como espiritualismo em que se pratica o intercâmbio mediúnico com desencarnados, só existe em solo brasileiro. Qual o motivo desse exclusivismo?

VOVÓ MARIA CONGA:  Essa situação é condizente com o carma coletivo do Brasil, pátria que abrigou em seu fértil solo grande parte dos espíritos ligados à Inquisição. Inquisidores vieram como escravos, e suas vítimas de outrora como" donos" da terra, como se retomassem a posse dos bens confiscados. Aliado a isso, o fato de a população indígena aqui presente, que também foi escravizada e "catequizada" pelo homem branco, juntamente com os ritos africanistas e a cultura católica dos colonizadores portugueses e espanhóis, e mais recentemente o Espiritismo provindo da França de Kardec, terem demarcado o sentimento de religiosidade dos brasileiros como se fosse uma grande colcha de retalhos.
Fez-se necessário um movimento religioso que abrigasse harmoniosamente todas essas tendências que desaguaram no país, expurgando-se definitivamente o carma negativo gerado pela intolerância e pela perseguição religiosa do "Santo" Ofício inquisitorial. Sendo assim, reuniu-se uma Alta Confraria Branca no Astral Superior, que planejou, com a permissão direta de Jesus, o nascimento da Umbanda no solo dessa pátria chamada Brasil.
Todo esse movimento, aparentemente contraditório na visão transitória dos homens impacientes, é abençoado resgate dos conhecimentos mais antigos, da solidariedade e fraternidade que existiram na Terra de antanho, e que está contribuindo decisivamente para a formação da mentalidade universalista cristã prevista para se consolidar no futuro.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Prostituição.





PERGUNTA:  Que dizeis da prostituição, em face da vida espiritual?



RAMATIS:  É indubitável ser a prostituição fruto proveniente de um mau comportamento espiritual na matéria. Mas, também, não pode ser julgada e analisada exclusivamente por um parâmetro único, porquanto, há inúmeros fatores de ordem social, financeira, econômica, religiosa, política e patológica, que devem ser examinados, a fim de se julgar o grau de maior ou menor nocividade dessa condição humana, simplesmente qualificada como delito ou pecado, respectivamente, pela sociedade e pelas religiões.

Ademais, embora se diga que é a "profissão mais antiga do mundo", na atualidade, é crescente o número de amadoristas que se entregam a uma prática sexual algo criticável, mercenária ou puramente prazenteira, contribuindo, cada vez mais, para desaparecer o profissionalismo da prostituição. Mas, perante as leis espirituais, a prostituição é tão-somente mais uma condição que retarda a ascese espiritual do ser pela demasiada vivência instintiva e sem objetos definitivos para engrandecer cada vez mais o espírito do homem.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

PROBLEMAS DO BRASIL


Pergunta:  No entanto, abalizados espíritas subestimam esse vaticínio do Brasil tornar-se o "Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho", pois alegam que o nosso povo é subdesenvolvido, irresponsável e desorganizado, além de fanático pelo Carnaval e Futebol, portanto, sem condições eletivas para corresponder à essa predição tão elevada. Que dizeis?

Ramatís: Sem dúvida, não se pode exigir da plantinha tenra e ainda impregnada do adubo malcheiroso do solo a fragrância do perfume que ela só poderá oferecer depois de adulta e na época da florescência. A falta de responsabilidade administrativa, a irreverência aos acontecimentos graves e sérios, o mau comportamento político e social, a subnutrição, o marginalismo, analfabetismo e as imprevisões no Brasil ainda são próprias de um país de território tão extenso, e uma formação étnica acanhada, cuja linhagem psicofísica mal se define na sua efervescência biológica! O lastro etnológico do Brasil foi preenchido por um residual humano inferior, isto é, por desterrados políticos, criminosos indesejáveis, piratas, vândalos e escórias de além-mar, que, ávidos de fortuna, logo aportaram com as expedições portuguesas e espanholas às praias brasileiras. A própria formação espiritual e religiosa do vosso povo foram grampeadas às noções bíblicas antiquadas, a dogmas sentenciosos, proibições e "tabus", em mistura com as superstições dos negros escravos e lendas do folclore ameríndio! 
O Brasil, no momento, mal atinge a sua puberdade como nação chamada a participar no concerto do mundo; mas a religiosidade inata, o temperamento pacífico e a intuição avançada do povo brasileiro são perspectivas elogiosas que justificam-lhe o elevado conceito futuro de "Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho"! Os seus problemas políticos, sociais e religiosos, embora complexos e perigosos, resolvem-se de modo pacífico, num clima quase esportivo, sem os banhos de sangue tão peculiares dos povos que ainda fervem na ebulição das paixões instintivas primárias! 84

terça-feira, 22 de setembro de 2015

BRASIL - “PAÍS DO CARNAVAL”



Pergunta: Os críticos mais derrotistas taxam o Brasil, sumariamente, de "País do Carnaval", cujo conceito os impedem de crer num evento espiritual tão nobre para o futuro! Que dizeis?



Ramatís:  Evidentemente, não podemos louvar as conseqüências funestas e degradantes, que resultam comumente dos festejos de Momo, por força dos descontroles emotivos, das paixões desvairadas e alucinações alcoólicas, que fluem da extroversão dos sentidos físicos na busca de satisfações exclusivamente carnais. Os foliões mais degradados, astutos, fesceninos e irresponsáveis procuram extrair toda sorte de proveitos, entre prazeres e aventuras censuráveis, graças à situação caótica carnavalesca! Mas essa escória de viciados, delinqüentes e sacripantas degenerados, que oneram as festividades carnavalescas pelo vício, lubricidade e má intenção, não é propriamente fruto desse ruidoso festejo, mas o amálgama natural de indivíduos ruins e desregrados, os quais se afogam no álcool e cometem os crimes mais abomináveis, tanto no Carnaval, como em Noites de Natal, à porta de uma igreja como no umbral de um prostíbulo! Eles são maus cidadãos na "Semana da Pátria", assim como filhos degenerados no "Dia do Papai"! 
Mas o povo brasileiro possui nas suas veias o sangue alvissareiro e comunicável do português, a ingenuidade, infantilidade e o requebro de corpo do negro, a força e a liberdade incondicional do silvícola! Portanto, é gente expansiva, buliçosa e alegre nessa festança primária da carne, que cultua ídolos e fetichismos, homenageia os fenômenos comuns da natureza, aprecia as cores berrantes e os trajes exóticos, confia em responsos, simpatias, benzimentos e bruxarias, porque lhes vibra na alma primitiva os ritmos gritantes e nativos da velha África! 
A carga emocional represada durante os 365 dias do ano, por força das obrigações prosaicas e limitativas da vida, então extravasa ante a plena liberdade dos sentidos nos dias de Carnaval! As vicissitudes, enfermidades, angústias, dores, sonhos desfeitos e os desencantos da existência física sublimam-se nos trajes coloridos e pitorescos, entre coleios e requebros, que fazem o povo esquecer-se durante 4 dias os pensamentos amargos e as emoções desagradáveis. Malgrado a crítica desairosa ao "País do Carnaval", o povo brasileiro, simples, ingênuo e comunicativo, esbalda-se nos festejos de Momo, mas expõe à luz do dia as suas deficiências e os sentimentos primários, enquanto os países "superdesenvolvidos" conseguem dissimular, sob douradas etiquetas de boa conduta e erudição incomum, a sua moral artificializada, a ambição, cobiça e o egoísmo, além da crueldade das grandes nações exterminando populações indefesas, famintas e feita de andrajos! 
Mas sob o toque divino e progressivo do Alto, em que tudo evolui e se aperfeiçoa, porque traz a chancela de Deus, o próprio Carnaval, em vez de extinguir-se como festa licenciosa e ignóbil, há de sublimar-se numa expressão sadia e artística, sendo no futuro a atração turística e folclórica do Brasil! A natureza expansiva e amorosa do povo brasileiro não tarda em alcançar um índice de alegria pura e sadia em todas as manifestações do próprio instinto inferior!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

OS BENEFÍCIOS DAS PROVAS CÁRMICAS


PERGUNTA:  Podeis dar-nos algum exemplo mais objetivo de que a criatura humana é sempre beneficiada, mesmo quando submetida à mais terrível prova cármica?



RAMATIS:  Suponde, para exemplo, um espírito encarnado num corpo físico com paralisia total dos seus membros inferiores. Isso  para ele é um mal porque, devido ao efeito cármico que lhe tolhe os movimentos das pernas, deixa de participar a contento do curso da vida transitória do mundo material. No entanto, em tal caso, a ação restritiva da Lei não tem por objetivo fazê-lo expiar de modo doloroso os seus erros do pretérito, mas apenas desenvolver-lhe um melhor senso diretivo dos seus passos futuros. Se o impede de participar ativamente das movimentações comuns da vida física e o manieta pela paralisia, assim o faz para obrigá-lo a uma existência mais introspectiva e ao constante esforço reflexivo que também lhe apura o psiquismo. 
A paralisia ou deformidade que o junge a uma cadeira de rodas ou leito de sofrimento não só o obriga a uma vida mais psíquica, como o afasta das paixões perigosas e das ilusões que vicejam nos caminhos do trânsito fácil da matéria. O paralítico, então, pode melhor desenvolver os bens do espírito e instruir-se mais facilmente, pois bem menores são as suas necessidades materiais e também sobeja-lhe maior cota de tempo para compensar os prejuízos do pretérito. O que pode parecer punição ou expiação espiritual, para as criaturas ignorantes do sentido criador e da recuperação cármica da alma, nesse caso não passa de retificação da onda da vida, que estava desarmonizada com a consciência do ser. 
Da mesma forma, quando se represa o curso dos rios, não se o faz para castigá-los, mas apenas para que do acúmulo de suas águas resulte maior força para a usina benfeitora. Assim, quando muitas vezes a Lei do Carma, ajustando o efeito à causa correspondente, represa a liberdade do espírito e o paralisa no ergástulo de carne retificador, não o faz com o fito de qualquer desforra divina, mas apenas para corrigir o desvio psíquico perigoso e reconduzir a alma novamente ao seu curso venturoso.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

PLANETAS PRIMÁRIOS SEMELHANTES À TERRA - MORADIAS EDUCATIVAS





PERGUNTA - E quais são as características fundamentais que indicam os tipos espirituais para habitar planetas primários semelhantes à Terra?

RAMATÍS - Sem dúvida, um planeta primário, cuja estrutura geológica instável oferece pouco conforto no seu ambiente físico, só pode servir de palco ou moradia educativa, para espíritos de características psíquicas primárias ou deficientes, ainda necessitados de corretivos redentores, como as intempéries, as mudanças climáticas e os cataclismos geológicos. 
Os alunos ignorantes, rebeldes, instintivos, daninhos e briguentos, que frequentam as escolas primárias de alfabetização do mundo, são naturalmente desordeiros e irresponsáveis, pois destroem sanitários, entopem tinteiros, quebram torneiras, sujam assoalhos, aniquilam jardins, desmontam janelas, riscam portas e carteiras, retalham bancos, rasgam livros, furtam dos companheiros, escrevem obscenidades nas paredes, zombam dos professores, gazeiam as aulas, vivem aos pontapés e socos, malcriados e desbocados para com os próprias colegas. 
Comparativamente, quais são os tipos de espíritos, que anualmente habitam a Terra e foram atraídos pela mesma afinidade primária, para encetar o aperfeiçoamento espiritual sob a rudeza de um mundo agressivo e inferior? Os terrícolas, muitos semelhantes às crianças analfabetas e ignorantes que freqüentam as escolas primárias do mundo, também são daninhos, irresponsáveis, orgulhosos, avarentos e destruidores. À guisa de alunos perversos, vândalos e brutos arrasam cidades com bombas atômicas, destroem bibliotecas, igrejas, templos, escolas, teatros, hospitais, institutos de cultura, centros de saúde e estâncias de recuperação física. Lançam bombas incendiárias e queimam campos, florestas, pomares e jardins, aniquilando as reservas de alimento da própria humanidade. São tipos de almas primárias tão insensatas, que se embriagam de álcool até a morte liquidá-los nas valetas ou nos hospitais psiquiátricos; loucos e desajustados, atiram os seus veículos contra postes, muros, casas, animais e pedestres, ou despenham-se colinas abaixo em abismos insondáveis, onde perecem tragados por trágicas fogueiras. 

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

POR QUE A TERRA É CONSIDERADA UM PLANETA INÓSPITO E CARMICAMENTE INFERIOR?


PERGUNTA  A fim de apreciarmos melhor os valores cármicos escalonados em cada planeta, por que a Terra é considerada um planeta mais inóspito e carmicamente inferior?



RAMATÍS: A Terra é uma escola de educação espiritual ainda da série primária, portanto, um planeta de carma, sobretudo, corretivo, ou seja, de finalidade purificadora. É um orbe de natureza física instável, sujeito às inundações, tufões, secas, frio e calor extremos; suas florestas são povoadas de insetos, répteis de toda sorte, de animais perigosos e selvagens, enquanto todo o meio ainda é poluído de germens patogênicos nas imensas regiões pantanosas, ou de depósitos de detritos humanos, provocando o envenenamento químico do próprio ar na evasão de gases nauseabundos. Em conseqüência, geram-se epidemias mortais ou de efeitos deformantes, com a proliferação de vírus e ultravírus, além dos intempestivos acidentes geográficos, que não permitem uma vivência de absoluta tranqüilidade.
Na sua composição primária, e para efeito de polimento espiritual, os vulcões são verdadeiras válvulas de pressão da massa ígnea interna, e geram tragédias lamentáveis entre os povos, cujos espíritos muito endividados situam-se justamente nas áreas vulcânicas ou de instabilidade geológica. Os pólos, atualmente sem serventia para uma produção nutritiva, serão no futuro uma espécie de reservatório, em que o gelo conserva as terras nutritivas para serem expostas ao sol no próximo milênio, após a verticalização profética da Terra.
Assim como as escolas primárias do mundo são destinadas aos alunos incipientes, analfabetos e rudes, o planeta Terra é o lar físico de espíritos primários, defeituosos e rebeldes, cujo conteúdo psíquico ainda bruto como o diamante extraído do solo, principia  ser desbastado para a louvável escultura do futuro brilhante espiritual.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

A NATUREZA DAS CULPAS OU PECADOS DE VIDAS ANTERIORES...




PERGUNTA - Poderíeis exemplificar-nos quanto à natureza das culpas ou pecados de vidas anteriores, que agrupam espíritos afins às provas semelhantes na mesma família?

RAMATÍS - Comumente, uma família, cujos membros sofrem acidentes ou se extinguem sob armas de fogo, às vezes de modo surpreendente, morrendo aparentemente sem culpa, atingidos por uma bala sem rumo, ou por examinar uma pistola ou fuzil, trata-se de um conjunto de espíritos em prova semelhante e provavelmente de ex-caçadores, que no passado divertiam-se em acabar com os pássaros nas florestas. Há o carma de vários componentes de um agrupamento familiar, e que coincidem de morrer de câncer. Isso constitui um enigma para a ciência profana, no entanto, são comparsas que operaram em desfavor do próximo por ações negativas de magia, maledicência, calúnias, prejuízos ou extrema inveja. Em outros eventos, verifica-se que os descendentes de certa família desencarnam por afogamento, cumprindo o carma de pirataria, quando lançavam ao mar os tripulantes dos barcos apreendidos. Outras vezes, pais infelizes curtem a desdita angustiosa de só gerarem filhos retardados, mongolóides, hidrocéfalos ou esquizofrênicos, ignorando que foram responsáveis pelo vício da cocaína, morfina ou ópio, nos espíritos dos seus próprios descendentes atuais.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

“CADA UM COLHE O QUE SEMEIA”





PERGUNTA - Considerando-se que o conceito de "cada um colhe o que semeia" é um princípio da Lei do Carma, não seria uma aberração os espíritos encarnarem-se na Terra, já estigmatizados por destinos fatalistas e que lhes cerceiam o "livre-arbítrio"?

RAMATÍS - Embora cada espírito deva renascer na vida física com o seu programa previamente esquematizado pela Administração Sideral da Terra, isso também se conjuga ao carma da raça e ao carma do próprio planeta de provas. Assim, há o carma individual do espírito reencarnante, o qual se conjuga ao carma da família em que ele ingressa, inclusive ao carma do povo ou da raça de que ele vai participar. É uma conjugação perfeita de valores positivos e negativos, que não podem exorbitar das regras e dos princípios disciplinadores da Lei do Cosmo, no esquema corretivo e indenizador das coletividades e dos indivíduos em suas inter-relações pessoais. 
A família terrena é constituída por espíritos dos mais variados tipos e graus evolutivos, os quais se digladiam há milênios no curso das vidas humanas e sujeitos ao carma coletivo do próprio conjunto familiar espiritual, povo, raça e da própria humanidade na sua eleição planetária. Sob a vestimenta carnal dos mesmos ascendentes biológicos, disfarçam-se espíritos amigos e inimigos, vítimas e algozes, credores e devedores, que ali se aproximam e se ajustam, sob a condição contemporizadora e convencional do lar humano. No seio da mesma família terrena, tanto vivem os espíritos amigos e unidos pelo amor, assim como as almas inimigas e adversas imantadas pelo próprio ódio que geraram no passado. Durante o treino afetivo e os interesses em comum, que unem os membros da mesma família, amainam-se ódios pregressos e cessam os impulsos irascíveis, e que ainda ficam mais fortalecidos pelo sentimento da partida para o Além. 
Afora sua retificação individual, cada espírito encarnado ainda fica na dependência da correção do conjunto de espíritos afins, fann1ia, que é também uma espécie de membro de cada povo, raça, e, conseqüentemente, da própria humanidade terrícola, compondo a síntese do carma do próprio orbe onde vivem. Sob dores, sofrimentos, necessidades econômicas, vicissitudes morais e dramas da família, os espíritos reunidos pelo mesmo tipo de delitos, culpas e dívidas cármicas, então precisam amparar-se contra a agressividade do mundo exterior, enquanto isso os ameniza em suas próprias mágoas e ressentimentos  recíprocos do passado. Ademais, as alegrias e os sucessos dos membros da mesma família, quando se projetam nas esferas da arte, política, social, intelectual ou mesmo desportiva, carreiam louvores e exaltações que lembram indenizações dos maus entendimentos pregressos. A euforia do conjunto, uma vez que a ventura de um familiar também se reflete no todo da parentela, aumenta a satisfação recíproca e extingue mais breve as animosidades cármicas pregressas.

sábado, 12 de setembro de 2015

Umbanda à luz do Cosmo





PERGUNTA:  A Umbanda, enquanto expressão de religiosidade, como espiritualismo em que se pratica o intercâmbio mediúnico com desencarnados, só existe em solo brasileiro. Qual o motivo desse exclusivismo?


VOVÓ MARIA CONGA:  Essa situação é condizente com o carma coletivo do Brasil, pátria que abrigou em seu fértil solo grande parte dos espíritos ligados à Inquisição.

Inquisidores vieram como escravos, e suas vítimas de outrora como" donos" da terra, como se retomassem a posse dos bens confiscados. Aliado a isso, o fato de a população indígena aqui presente, que também foi escravizada e "catequizada" pelo homem branco, juntamente com os ritos africanistas e a cultura católica dos colonizadores portugueses e espanhóis, e mais recentemente o Espiritismo provindo da França de Kardec, terem demarcado o sentimento de religiosidade dos brasileiros como se fosse uma grande colcha de retalhos.

Fez-se necessário um movimento religioso que abrigasse harmoniosamente todas essas tendências que desaguaram no país, expurgando-se definitivamente o carma negativo gerado pela intolerância e pela perseguição religiosa do "Santo" Ofício inquisitorial. Sendo assim, reuniu-se uma Alta Confraria Branca no Astral Superior, que planejou, com a permissão direta de Jesus, o nascimento da Umbanda no solo dessa pátria chamada Brasil.

Todo esse movimento, aparentemente contraditório na visão transitória dos homens impacientes, é abençoado resgate dos conhecimentos mais antigos, da solidariedade e fraternidade que existiram na Terra de antanho, e que está contribuindo decisivamente para a formação da mentalidade universalista cristã prevista para se consolidar no futuro.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

A VIDA NO PLANETA MARTE E OS DISCOS VOADORES - Casamento – VII



PERGUNTA: A gestação e a "délivrance", em Marte, obedecem às mesmas leis da genética terrena?

RAMATIS: Marte, como orbe de natureza física, não poderia se distanciar anormalmente das leis comuns da evolução, no campo funcional da gestação e "délivrance". Desde o mecanismo da sinalética sexual até à hora do "vir à luz", o espírito reencarnante opera no casulo materno, sob condições análogas às terrenas. Ressalvam-se, no entanto, as condições de ordem psíquica, mental e espiritual, que é de imensa superioridade sobre as que circundam os cônjuges terrestres. Conforme já esclarecemos, tanto o pai quanto a mãe conservam-se em estreita colaboração de ordem mental, controlando a emotividade e fornecendo ao reencarnante a melhor quota de fluidos salutares. Criam uma zona psíquica de harmonia e equilíbrio para que no astral o futuro filho atue com serenidade no reingresso à forma física.

PERGUNTA: O período de gestação é mais curto do que na Terra?

RAMATIS: Só em casos excepcionais, quase à semelhança dos prematuros do vosso mundo, pois, em geral, a fase gestativa marciana é um pouco mais longa do que a terrena, embora sem oferecer os quadros mórbidos e opressivos da gravidez terrena, que apresentam certas parturientes demasiadamente negligentes com seus altos deveres de "médium" da vida!

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

PURGAÇÃO PERISPIRITUAL NOS CHARCOS DO ALÉM TÚMULO



PERGUNTA: Poderíeis explicar-nos alguns pormenores dessa purgação perispiritual nos pântanos ou charcos absorventes do Além-túmulo?


RAMATÍS: Quando o espírito não consegue expurgar todo o conteúdo venenoso do seu perispírito numa só existência física, ele desperta no Além sobrecarregado de magnetismo primário, denso e hostil._Em tal caso, devido à própria "lei dos pesos específicos", ele cai nas zonas astralinas pantanosas, ou seja, no reservatório oculto das forças instintivas responsáveis pela vida animal.
Depois de atraído para esses pântanos do astral inferior, onde predominam em continua ebulição as energias primárias criadoras do corpo animal, ele é submetido à terapêutica obrigatória de purgação no lodo absorvente, embora tal processo lhes seja incômodo, doloroso e repugnante. Sob esse tratamento cáustico da lama astralina absorvente, eles se libertam, pouco a pouco, das excrescências, nódoas, venenos e das "crostas fluídicas" que nasceram no seu tecido perispiritual por efeito dos seus atos pecaminosos vividos na matéria. Embora sofram muitíssimo nos charcos astralinos, isso os alivia da carga mefítica acumulada na Terra, assim como o seu psiquismo enfermo, depois de chicoteado pela dor cruciante, desperta e corrige-se para viver existências futuras mais educativas ou menos animalizadas.
Tanto a Terra quanto o mundo astral que a rodeia e a interpenetra por todos os poros, são palcos de redenção espiritual para os espíritos enfermos livrarem-se dos detritos mórbidos produzidos pelas suas imprudências pecaminosas. Os charcos do astral inferior lembram os recursos de que se servem alguns institutos de beleza, na Terra, quando também usam a lama terapêutica para limpar a pele das mulheres e remover-lhes certas nódoas ou manchas antiestéticas. Há, também, certa analogia desses pântanos astralinos com a natureza absorvente de um tipo de barro e de areia terrena, que habitualmente são usados no processo de imersão dos enfermos para o tratamento do reumatismo. 4

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Sobre os Orixás


O que são orixás?
Os orixás são aspectos da Divindade, altas vibrações cósmicas que se rebaixam até nós,
propiciando a apresentação da vida em todo o Universo. Cada um dos orixás tem peculiaridades e correspondências próprias na Terra: cor, som, mineral, planeta regente, elemento, signo zodiacal, essências, ervas, entre outras afinidades astromagnéticas que fundamentam a magia na umbanda por linha vibratória (texto extraído de A Missão da Umbanda). 6
6 - Livro de Ramatís psicografado por Norberto Peixoto, publicado pela Editora do
Conhecimento, disponível pelo site: www.edconhecirnento.com.br
.

Do livro: Umbanda Pé No Chão - Ramatís/Norberto Peixoto - Editora do Conhecimento.

sábado, 5 de setembro de 2015

A VIDA NO PLANETA MARTE E OS DISCOS VOADORES - Casamento – VI




Elucidações de Ramatís sobre a angústia sexual.

RAMATIS: Somente a compreensão elevada das funções sexuais alcançará suplantar a terapêutica comum do mundo, afastando os pacientes dos recursos proverbiais da "psicanálise" e das neuroses clássicas dos estados sexo-patológicos: Porém, antes da preocupação da genética dirigida, deve existir a disciplina emotiva das relações sexuais, no controle absoluto do instinto inferior e da imposição bruta do reino animal. É fácil comprovar que os homens sábios, demasiadamente entretidos com o intelecto, geralmente são afeitos à continência sexual. Criam, naturalmente, uma segunda natureza que lhes coordena as forças inferiores e as sublima para os eventos benéficos e criadores no campo mental. A angústia sexual, responsável pela multiplicidade de aspectos patológicos de ordem neurótica e emotiva, não será solucionada sob a frieza de comprimidos, injeções ou tisanas de qualquer espécie; só o amor espiritualizado, manifesto e vivo, sob a inspiração sadia da conduta evangélica, conseguirá a terapêutica tão desejada no plano sexual. Jamais podereis encontrar aquele "amor ideal", tão desejado, no íntimo da humanidade, algo de santificante, que transcende as formas comuns, grosseiras, da vida humana, através do excesso das aberrações sexuais. O instinto satisfeito pode dar-vos transitória sensação de paz, na letárgica condição que advém após as trocas genésicas, mas o amor verdadeiro só o conseguireis quando o fizerdes independer das relações efêmeras da carne.
Acima do sexo definido pela biologia do vosso mundo, palpita a alma eterna e repleta de ansiedades afetivas e duradouras, cuja angústia aumenta tanto quanto as frustrações contínuas na troca de sensações grosseiras. Os sonhos etéreos que flutuam em torno de vossos espíritos sedentos de afeto e de compreensão, impregnam-se de vibrações grosseiras, aviltam-se e definham, se os tentais resumir na precariedade de uma sensação oriunda dum breve encontro carnal. Procurar o equilíbrio psíquico através do ajuste sexual, é, na realidade, terapêutica do vosso mundo; porém, no plano do espírito, essa concepção é comparável ao recurso de iludir o pássaro aflito ou ansioso por liberdade, prendendo-o numa gaiola.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

SIGNIFICAÇÃO DA PALAVRA "CARMA"





PERGUNTA:  Qual a verdadeira significação da palavra “Carma” tão usada entre os reencarnacionistas, e que tem relação particularmente com as vidas anteriores?



RAMATIS:  Carma é palavra que deriva do sânscrito (kri) ou seja “fazer”. Os hindus são os que mais a empregam, considerando-a como vocábulo técnico mais apropriado para designar a ação e o seu efeito correspondente nas encarnações sucessivas dos espíritos na Terra. Para eles, toda ação é Carma; qualquer trabalho ou pensamento que produzir algum efeito posterior é Carma.
E a lei de Causa e Efeito, como a chamais, com seu saldo credor ou devedor para com o espírito encarnado. Os atos praticados por pensamentos, palavras ou obras, nas vidas anteriores, ou seja em vidas subsequentes, devem trazer venturas ou acarretar desgraças aos seus próprios autores, na proporção entre o bem e o mal que deles resultou. Os seus efeitos, portanto, atuam posteriormente sobre a felicidade, a vontade, o caráter e os desejos do homem em suas vidas futuras. Embora pareçam anular o livre arbítrio, são forças que resultam sempre dos próprios atos individuais do pretérito. E o efeito agindo e dominando a própria vontade do ser, mas reagindo exatamente de acordo com as próprias causas que ele engendrou. A lei de Causa e Efeito registra as ações boas ou más; a lei do Carma procede ao balanço das ações registradas e dá a cada espírito o “saldo” que lhe cabe em resultados bons ou maus. 
Metafisicamente, a palavra “Carma” refere-se ao destino traçado e imponderável, que atua tanto nas coisas animadas como nas inanimadas, pois rege e disciplina todos os ciclos da vida, que vão desde o finito ao infinito, do átomo à estrela e do homem ao Universo! 
Há, pois, o Carma do homem, o da família, o da nação, o do continente e o da humanidade. E, assim como se engendram destinos futuros fundamentados nos atos ou pensamentos do homem — que serão regidos e disciplinados pelo seu Carma — também os orbes que balouçam no espaço obedecem a um determinismo cósmico, de reajustamento de sua massa planetária, em concomitância com o efeito das causas coletivas de suas próprias humanidades.
Há que considerar, portanto, desde o Carma atômico que rege o princípio de vida microscópica no Cosmo, para a formação da matéria, até o Carma do Universo, que então já é a Lei Cósmica manifestada fora do tempo e do espaço. Com referência ao Carma do homem, convém lembrar que Jesus muitas vezes advertiu sobre a existência de uma lei disciplinadora do mecanismo de relações entre os seres, e que liga as causas aos seus efeitos correspondentes, quando afirmou: “Quem com ferro fere com ferro será ferido” ou “Cada um há de colher conforme for a semeadura”. Esses conceitos de Jesus não deixam dúvida de que o espírito há de sempre sofrer os efeitos na esteira das reencarnações físicas, submetido implacavelmente ao determinismo das causas que gerou. Tais conceitos vêm a ser os mesmos da Lei de Causa e Efeito, isto é, de que todas as causas engendram efeitos futuros de igual intensidade e responsabilidade, com a diferença, porém, de que éLei imutável e severa, que tanto disciplina os fenômenos da vida planetária, o amor entre os seres e a afinidade entre as substâncias, como governa a coesão entre os astros dispersos pelo Cosmo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...